Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

"Onde chego, apresento trabalho. Sou o treinador que mais títulos ganhou em Portugal e quero mostrar o meu valor no maior clube do Brasil"

Foi assim que Jorge Jesus foi apresentado, esta segunda-feira, como treinador do Flamengo: "Quando cheguei ao Benfica, o clube não ganhava nada há algum tempo e agora tem a hegemonia no país. É o que vim fazer"

Tribuna Expresso

Partilhar

Porquê o Flamengo

"Tenho muita honra em ter sido convidado para comandar este grande clube. É importante o interesse que esta decisão está a despertar em Portugal. Quero apresentar trabalho no Flamengo. O meu passado como treinador está escrito, está feito. Sou o treinador que mais títulos ganhou em Portugal e quero mostrar o meu valor no maior clube do Brasil. Onde chego, apresento trabalho. Vou apresentar o meu trabalho, que foi visto em duas das três maiores equipas de Portugal nos últimos 10 anos. Quando cheguei ao Benfica, o clube não ganhava nada há algum tempo e agora tem a hegemonia no país. É o que vim fazer no Flamengo".

Como vai jogar a equipa com JJ

"Temos 20 dias para trabalhar e vamos apresentar uma proposta aos jogadores, explicar-lhes as nossas ideias. Isto para mim não é novidade. Um canal brasileiro diz que trabalhei com 156 jogadores brasileiros, por isso estou habituado. São ótimos profissionais e têm muito talento. Quero partilhar com eles o nosso trabalho. Queremos melhorar os resultados mas também a qualidade de jogo do Flamengo. Vi uma equipa do Flamengo um pouco ansiosa, mas isso é normal, está numa tentativa de recuperação pontual. Tenho um conceito e ideia de jogo. Hoje, no futebol, a evolução é teres muitas ideias de jogo e modificares durante o jogo, isso é que será a evolução do futebol, e alguns técnicos já o fazem. Vou meter algumas variantes mas não vou fugir muito [do habitual]. Vamos atuar com primeiro e segundo avançado."

Diferenças em relação à Europa

"São estilos diferentes, Europa e Brasil... Na Europa a intensidade é maior, porque a temperatura também ajuda. É maior sem bola, porque, com bola, o futebol brasileiro é muito intenso. Os brasileiros executam muito rapidamente, mas, sem bola, não são tão intensos, por vários motivos, como trabalho tático, ou calor, que parte as equipas. Tentarei introduzir isso no Flamengo, que seja uma equipa mais intensa sem bola. O Brasileirão é muito difícil, eles lá [na Europa] também têm a mania de que sabem tudo e não têm noção da qualidade e intensidade do jogador brasileiro. Ontem vi um Fla-Flu e a forma como se cria espaços é incrível."

O conhecimento do futebol brasileiro

"Vejo todos os jogos do futebol brasileiro em minha casa, não sei se é publicidade a um canal, mas o PFC dá os jogos todos do campeonato, e eu via-os, sem saber que iria treinar o Flamengo. Quando soube que iria treinar este clube, comecei a conhecer muito melhor os jogadores."

Jogadores brasileiros que treinou

"Tive a oportunidade de relançar alguns jogadores brasileiros que foram jovens para Portugal. Lembro-me do David Luiz e do Ramires. O Luisão já jogava algumas vezes na seleção brasileira... O Talisca, que saiu desconhecido daqui e agora na Europa todos o querem. Em Portugal estamos habituados a muitos jogadores e treinadores brasileiros. O Felipão esteve numa final e todos admiram o trabalho dele em Portugal."

Contrato de apenas um ano

"Normalmente faço isso. Quando saí do meu país, fiz o mesmo. A equipa técnica que vem é a que estava comigo na Arábia Saudita, são 7 elemento, a contar com o regresso do Evandro Mota."