Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Este relatório diz que Félix foi vendido muito acima do valor de mercado

Ranking da Soccerex, que avalia anualmente os jogadores sub-21 mais valiosos do mundo, volta a ser liderado pela estrela do PSG e da seleção francesa, Kylian Mbappé, cotado em € 261,6M. A novel estrelinha do Atlético de Madrid está avaliado em € 71,8 milhões, quase € 50 milhões a menos do que pagaram os colchoneros pelo ex-jogador do Benfica

Isabel Paulo

PATRICIA DE MELO MOREIRA/Getty Images

Partilhar

De acordo com o relatório anual da Soccerex, João Félix é o 6º jogador sub-21 mais valioso mundo, com uma cotação de € 71,8 milhões, um valor de peso mas, mesmo assim, significativamente menor do que os € 126 milhões pagos pelo Atlético de Madrid pelo novo internacional português. A disparidade de valores é justificada por David Wright, CEO da Soccerex, “sobretudo pela vontade do clube investir num jovem talento”.

Sem surpresa, o ranking sub-21 da Soccerex é liderado, pelo segundo ano consecutivo, pela estrela do PSG Kylian Mbappé, valorizado em € 261,6M. No segundo lugar do pódio do 'Top 10' 2019, o destaque vai para Jadon Sancho (€ 120,3 milhões), do Borussia Dortmund, seguido do jogador do Ajax De Ligt (€ 74,5 milhões). Na quinta edição do relatório que tem por base o 'Prime Time Sport’s Football Value Index', empresa de marketing desportivo que avalia jogadores nascidos após o dia 1 de janeiro de 1998, figura no quarto lugar dos jogadores mais valiosos Harvertz, do Bayern Lerverkusen, e em quinto o internacional inglês Alexander Arnold, do Liverpool.

Dois jogadores da Liga NOS no Top 10

Na lista dos mais promissores jogadores do mundo estreia-se João Félix, fechando o Top 10 Donnarumma (67,9 milhões), do AC Milan, Vinícius Júnior (60,9 milhões), do Real Madrid, Pulisic (€ 57,2 milhões), do Chelsea, e o ex-portista, agora merengue, Edér Militão (€ 54,6 milhões). Na avaliação das jovens estrelas é tida em conta a idade do jogador, a posição, o clube atual, a extensão do contrato, a perceção de valor de mercado, o número de internacionalizações, os minutos jogados, golos marcados, lesões e qualidade técnica, dados recolhidos de diferentes fontes oficiais, para atingir os valores finais de cada jogador.

A edição europeia de 2019 da Soccerex terá por palco Oeiras, entre 5 e 6 de Setembro, evento organizado em parceria com a Federação Portuguesa de Futebol, com o apoio da Liga Portugal, sendo esperada a participação de mais de 1500 figuras de indústria do futebol que irão discutir o futuro da modalidade no Velho Continente.

A propósito do relatório que acaba de ser publicado, o diretor de Marketing da Soccerex, David Wright, destacou ser um orgulho ter a empresa conseguido “prever de forma correta os valores dos jogadores de perfil mais elevado”, ao longo dos últimos cinco anos. Apesar da avaliação de João Félix parecer estranha face ao valor pago pelo Atlético de Madrid, o CEO da Soccerex justifica a disparidade “sobretudo pela vontade do clube investir num jovem talento, pelo que acreditamos que a nossa avaliação está mais próxima do valor real do jogador”.

David Wright reconhece, contudo, que poderá atingir níveis de sucesso que venham a revelar que “o negócio foi um achado” para o Atlético e “um negócio extraordinário para os encarnados”. “O pagamento de tão elevada cláusula revela o talento de João Félix mas também o nível atual do mercado de transferências na Europa, que é potenciado pelas receitas da UEFA Champions League que permitem o pagamento de valores elevados e superiores aos de mercado de vários jogadores”, refere a Soccerex.

Premier League domina ranking

Sancho é o mais valioso dos seis ingleses que estão neste ranking, nação que domina o relatório. Esta posição dominante é explicada pelas vitórias recentes nos mundiais de Sub-17 e Sub-20, gerações das quais Sancho é o maior prodígio até ao momento. A França é o segundo país mais representado, com quatro, seguido do Brasil com três, Itália com dois e Portugal, Holanda, EUA, Alemanha e Nigéria com um.

Das outras ligas das Big Five, a Bundesliga tem quatro jogadores, enquanto a Serie A e a Ligue 1 têm dois. Da Liga NOS, Félix e Militão foram avaliados tendo em conta as suas prestações no Benfica e FC Porto, que passam a pertencer à La Liga em 2019/2020.

A curiosidade final do relatório é o facto de o ranking ser dominado por extremos e avançados móveis, seguido de médios-centro e médios ofensivos.