Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Ultras da Juventus chantageavam clube por bilhetes grátis. Agora foram detidos

Cerca de 40 adeptos, 10 dos quais líderes de algumas das claques mais violentas da Juventus, foram detidos esta segunda-feira, suspeitos de chantagear o clube com o objetivo de conseguir bilhetes grátis. Ameaçavam com violência e cânticos racistas durante os jogos do clube de Cristiano Ronaldo

Tribuna Expresso

Massimiliano Ferraro/NurPhoto via Getty Images

Partilhar

Foi preciso um ano de investigação por parte de uma unidade especial da polícia de Turim para fazer cair os líderes de vários grupos de ultras da Juventus, que alegadamente chantageavam o clube para obter bilhetes grátis, que eram de seguida vendidos no mercado negro.

A fórmula era, aparentemente simples: caso o clube não disponibilizasse bilhetes a estes grupos, os adeptos ameaçavam causar cenas de violência e entoar cânticos racistas durante os jogos da Juventus. Além de 10 líderes de claques, outras 27 pessoas foram detidas, depois da equipa de Cristiano Ronaldo apresentar queixa às autoridades.

De acordo com a agência Reuters, a operação decorreu esta segunda-feira e estendeu-se a 14 cidades do norte e centro de Itália. Os detidos deverão ser agora acusados de conspiração, crime organizado, lavagem de dinheiro e agressão.

Este caso surge poucos meses depois do Ministério Público italiano abrir uma investigação (que ainda decorre) à alegada entrada de membros da máfia calabresa nos grupos de ultras da Juventus.