Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Crise no Valencia: o novo treinador foi à conferência de imprensa. Os jogadores recusaram-se

Plantel em protesto após a saída de Marcelino Toral, técnico que levou a equipa à vitória na Taça do Rei na última temporada, em conflito com a direção do clube. Na conferência de antevisão ao encontro com o Chelsea, Albert Celades apareceu sozinho

Tribuna Expresso

JOSE JORDAN/Getty

Partilhar

A onda de choque pela saída de Marcelino Toral do banco do Valencia está longe de passar. O treinador espanhol saiu do clube em conflito com a direção, mas tinha o apoio do balneário e foram vários os jogadores que utilizaram as redes sociais para criticar o despedimento do técnico que na última temporada levou o clube à vitória na Taça do Rei.

E depois de terem optado pelo silêncio após a pesada derrota frente ao Barcelona, o plantel cumpriu aquilo que já tinha ameaçado: não houve qualquer jogador do Valencia ao lado do novo treinador do clube, Albert Celades, durante a conferência de imprensa de antevisão do encontro frente ao Chelsea, para a Liga dos Campeões.

Os jogadores do Valencia decidiram não falar em protesto, já que consideram que a direção do clube detido por Peter Lim não ofereceu qualquer tipo de explicação para a saída de um treinador que era querido pelo plantel.

Celades, antigo jogador do Barcelona e Real Madrid, sublinhou que a situação em que se viu envolvido “não é a ideal”, mas durante a conferência de imprensa em que encarou sozinho os jornalistas sublinhou que os seus jogadores “querem jogar, querem sentir a atmosfera e lutar por um lugar no onze titular”.

“Falo com os jogadores todos os dias. Foi a decisão deles, mas há sempre diálogo”, disse ainda o novo treinador do Valencia.

Balneário em silêncio

Apesar de Albert Celades garantir que o espírito dos jogadores é bom, mas o “Superdeporte”, jornal desportivo com base em Valencia, diz que o balneário do clube “parece um cemitério” e que o ambiente desde a saída de Marcelino Toral é tenso.

A recusa por parte dos jogadores de comparecerem ao lado do treinador na conferência de imprensa antes da estreia na Liga dos Campeões é uma falha às regras da UEFA e o clube deverá receber sanções. Sanções essas que a direção do Valencia terá imputado aos jogadores, ameaçando com descontos nos salários.