Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Há várias formas de vencer um jogo - e ter Traoré é uma delas

Adama Traoré foi a grande figura do City - Wolverhampton, marcando dois golos em contra-ataques explosivos, ambos a passe do ex-Benfica Jiménez

Pedro Candeias

Alex Livesey

Partilhar

Havia dois contextos a cirandar o City - Wolverhampton: o Liverpool ganhara (2-1) no limite ao Leicester na véspera, com um golo de penálti aos 90'+5, um golo daqueles que costuma dizer-se que só acontece aos campeões; e Bernardo Silva e a acusação de racismo após aquele tweet polémico para Mendy.

Então, o City precisava de vencer para não deixar fugir o Liverpool e Bernardo Silva começaria o jogo no banco de suplentes. O português entraria sob aplausos a meio da segunda-parte, por troca com Mahrez, e esse foi, coincidência ou não, o melhor período da talentosa equipa de Guardiola perante o conjunto operário de Nuno Espírito Santo.

Num clássico confronto de ideias, entre o carrossel do tiki-taka catalão e, porque não?, o autocarro à portuguesa, o triunfo coube aos Wolves, como que a lembrar-nos que há várias formas de ganhar um jogo.

E uma delas é defender bem, muito bem, com as linhas juntas bem dentro do meio-campo defensivo, organizando-se num 5x3x2, com exibições seguras de Rúben Neves e de João Moutinho na ocupação dos espaços, e partir rapidamente para o contra-ataque, com um, dois, três toques. Também se treina e também é preciso um certo jeito, porque diante do City, cada nesga tem de ser aproveitada.

Foi assim que o Wolverhampton chegou ao primeiro golo, ao minuto 80, por Traoré, que durante bastante tempo fora apenas um falso lateral direito para, depois, subir no terreno quando Cutrone saiu para entrar Ryan Bennett.

O poderosíssimo espanhol disparou quando Jiménez humilhou Otamendi e recebeu um cruzamento do mexicano para bater Ederson. O segundo golo, ao minuto 95, foi mais do que parecido com o anterior: Jiménez isolou Traoré que voltou a marcar a Ederson. Foi portanto um início de tarde maravilhoso para este defesa, extremo, avançado formado no Barcelona, nem sempre o mais esclarecido dos futebolistas, mas certamente um dos mais explosivos que a Premier League tem para mostrar.

E, agora, a conclusão, dizendo que o City está a oito pontos do Liverpool, no segundo lugar, e o Wolverhampton subiu ao 11.º lugar.