Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Líder dos ultras do Hellas Verona banido do estádio por 11 anos após os insultos racistas contra Balotelli

Mario Balotelli, avançado do Brescia, reagir aos sons de macaco que ouviu os adeptos do Hellas Verona gritarem, no domingo, cujo líder da claque chamou "palhaço" ao italiano. Luca Castellini foi esta terça-feira banido do clube de ir aos jogos em casa até 2030 e o comité de disciplina da Série A ordenou o encerramento de parte da bancada do estádio

Tribuna Expresso

Alessandro Sabattini/Getty

Partilhar

No domingo, Mario Balotelli reagiu aos sons de macaco que ouviu no Hellas Verona-Brescia, pegou na bola, chutou-a para a bancada. Luca Castellini, líder da secção dos ultras de onde foram gritados os insultos racistas, chamou-o "palhaço", disse que o avançado "não era inteiramente italiano" e que tinha ouvido os insultados apenas "na sua cabeça".

Esta terça-feira, o Hellas Verona tomou uma postura e proibiu Castelli de entrar no estádio do clube até 2030, devido a "considerações e expressões que são seriamente contrárias aos valores e princípios éticos do clube". Ficará banido de assistir, ao vivo, aos jogos do Hellas Verona em casa até 2030.

No mesmo dia, o comité de disciplina da Série A decidiu encerrar, temporariamente, a secção do estádio do Hellas Verona que costuma ser ocupado pelo grupo de ultras em questão.