Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Uma lição que vem de Inglaterra: FA abre inquérito ao United por protestos contra o árbitro

Aos 25 minutos do encontro, após um golo de Firmino (Liverpool), os jogadores do Manchester United rodearam o árbitro Craig Pawson, reclamando com veemência uma falta de Virgil van Dijk sobre o guarda-redes David de Gea que, entretanto, viu um cartão amarelo

Lusa

Alguns jogadores do United rodearam o árbitro Craig Pawson no clássico contra o Liverpool. Uma imagem que a FA não tolera

Alex Dodd - CameraSport

Partilhar

A federação inglesa de futebol (FA) anunciou hoje a abertura de um inquérito ao Manchester United, na sequência dos protestos dos seus jogadores, durante o jogo frente ao Liverpool, no domingo, para a 23.ª jornada da Premier League.

“É lamentável que o clube não consiga garantir o comportamento adequado dos seus jogadores”, escreveu a FA em comunicado, dois dias depois do encontro que a formação de Liverpool, líder destacada do campeonato, venceu 2-0.

Aos 25 minutos do encontro, após um golo de Firmino, os jogadores do Manchester United rodearam o árbitro Craig Pawson, reclamando com veemência uma falta de Virgil van Dijk sobre o guarda-redes David de Gea que, entretanto, viu um cartão amarelo.

[Subscreva a 12:45, a newsletter da Tribuna, AQUI para saber o que se passou, o que se passa e o que se vai passar no desporto, no tom certo, à hora certa]

A falta acabou por ser confirmada pelo videoárbitro (VAR) e o golo anulado.

O Manchester United, que segue na quinta posição, a 20 pontos do líder Liverpool, que tem menos um jogo disputado, deve apresentar os seus argumentos até quinta-feira.