Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Depois de Arteta, um caso no Chelsea: extremo Callum Hudson-Odoi infetado pela covid-19

Chelsea já encerrou parcialmente o seu centro de treinos, depois de conhecer o resultado do teste durante a madrugada de sexta-feira

Tribuna Expresso

Visionhaus/Getty

Partilhar

Callum Hudson-Odoi, jovem extremo do Chelsea, é o mais recente caso de infeção com o novo coronavírus, confirmou o clube de Londres na madrugada de sexta-feira. É o segundo caso da Premier League, depois do positivo do treinador do Arsenal, Mikel Arteta. Todo o plantel do Chelsea vai agora isolar-se de forma voluntária.

"Todo o pessoal do clube que tenha estado em contacto recente com o jogador vai agora isolar-se de forma voluntária, em linha com as recomendações dos responsáveis governamentais. Isto inclui toda a equipa principal, treinadores e alguns membros do staff", pode ler-se no comunicado do Chelsea, publicado no site oficial do clube.

"O Callum mostrou sintomas similares a uma suave constipação na segunda-feira de manhã e não tem estado no centro de treinos desde então, por precaução. Apesar de ter testado positivo, está a sentir-se bem e com vontade de treinar-se o mais rapidamente possível", escreve ainda o Chelsea sobre o jogador de 19 anos.

O Chelsea fechou ainda uma parte do seu centro de treinos, mas o estádio Stamford Bridge estará em normal funcionamento.

O Chelsea joga no sábado frente ao Aston Villa, mas com toda a equipa em isolamento, a Premier League deverá ser obrigada a adiar o jogo.