Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Atlético Madrid, de João Félix, corta nos salários para “garantir a sobrevivência do clube”

A equipa de João Félix junta-se a Barcelona e Espanyol e também vai baixar despesas. Diretor executivo escreveu carta aos sócios a explicar a decisão, que afeta todos os funcionários, jogadores e técnicos incluídos

Tribuna Expresso

NurPhoto/Getty

Partilhar

O Atlético Madrid vai reduzir salários de todos os funcionários, inclusivamente dos treinadores e jogadores da equipa principal, onde se inclui o português João Félix. O surto da covid-19 parou todas as competições nacionais e internacionais e o clube da capital diz-se obrigado a tomar medidas extremas.

"Uma situação tão grave como esta obriga-nos a tomar decisões complicadas mas necessárias para o bem da entidade. Infelizmente, e com o único objetivo de garantir a sobrevivência do clube, vemo-nos obrigados a solicitar um Expediente de Regulação Temporária de Emprego (ERTE) para os profissionais que, devido ao estado de alarme declarado no nosso país, não podem continuar a trabalhar bem como para os que viram a sua jornada laboral reduzida de maneira relevante", pode ler-se numa carta enviada aos sócios e assinada por Miguel Ángel Gil Martin, director executivo do clube.

"Ambos os casos afetam tanto funcionários como jogadores e técnicos da nossa equipa", esclarece ainda a carta, onde o clube frisa que está a trabalhar "para minimizar o impacto da medida e limitá-lo a estritamente imprescindível, para que quando regresse a competição tudo volte a funcionar como até agora".

"São decisões difíceis, mas que a responsabilidade de salvaguardar o futuro do Atlético Madrid nos obriga a tomar", diz ainda a carta.

O Barcelona é outro dos clubes que deverá avançar para um ERTE, uma figura semelhante ao que em Portugal se chama de lay-off. O Espanyol também vai avançar com um corte salarial de 70% devido às consequências do surto da covid-19.