Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Filipe Luís: “Eu bati sempre no Messi para pará-lo e ele nunca me censurou por isso. Devia ser sempre ele a ganhar a Bola de Ouro”

O defesa brasileiro do Flamengo, de Jorge Jesus, garante nunca ter trocado de camisola com o argentino, apesar de o ter defrontado por 26 vezes

Tribuna Expresso

Alex Caparros

Partilhar

Há uma lei não escrita no futebol que diz que no final de um jogo é ok trocar de camisola com o adversário, porque futebol é um desporto e o desporto deve ter fair-play. Também, por norma, se sabe que os melhores futebolistas são os mais procurados neste gesto simbólico e poucos na história são e foram tão bons como Lionel Messi. Com quem Filipe Luís, defesa brasileiro, nunca trocou camisola apesar de o ter defrontado, pelo menos, 26 vezes na Liga espanhola, ele pelo Deportivo La Coruña e pelo Atlético de Madrid, este pelo Barcelona. Ora, porquê?

"Eu bati sempre no Messi para pará-lo e... ele nunca me censurou por isso. Eu admiro-o muito por causa do futebol dele, mas eu entrei no relvado sempre para lhe vencer, não para dizer que joguei contra ele", disse à revista Panenka o agora jogador do Flamengo, de Jorge Jesus.

Para Filipe Luís, Messi é mesmo o maior. "Toda a gente sabe o que penso dele. A única coisa que temos a fazer é aproveitar, porque não sabemos quantos anos ou quantas décadas se vão passar até aparecer outro jogador assim. Ele devia ganhar sempre a Bola de Ouro."