Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Aconteceu em San Siro. “Avisei-o: ‘Mario, olha, se entrares e jogares mal, vou ser obrigado a dar-te uns murros’. Dei-lhe uma boa porrada”

Marco Materazzi contou o célebre incidente no túnel após o Inter de Milão 3-1 Barcelona, em 2010, em que agrediu Mario Balotelli por este ter cumprido a promessa que havia feito no autocarro da equipa, antes do jogo. E a história prossegue com um estranho pedido a Mourinho

Pedro Candeias

LLUIS GENE

Partilhar

Mais um dia de quarentena, mais um live de Instagram com testemunhos rocambolescos e deliciosos que de outra forma e num contexto normal nunca as ouviríamos. Os protagonistas desta são Marco Materazzi, o antigo central italiano, e Davide Oldani, chef italiano adepto do Inter de Milão; o artista não convidado é Mario Balotelli, avançado do Brescia.

Materazzi conta a célebre confusão no túnel do San Siro, após o jogo com o Barcelona que o Inter venceu por 3-1, em abril de 2010 – os italianos eliminariam os catalães numa segunda-mão épica. "Sim, é verdade, dei-lhe uma porrada, mas ele estava a pedi-las. Hoje somos mais do que amigos, praticamente irmãos, mas ele fez uma coisa que não se faz: jogar mal".

Jogar mal propositadamente, diga-se, porque Balotlelli prometera isso mesmo aos colegas dentro autocarro da equipa, tendo Materazzi avisado o rebelde avançado nos seguintes modos: "Mario, olha que, se entrares e jogares mal, como estás a dizer que vais fazer, vou ser obrigado a dar-te uns murros".

Balotelli entrou em campo, chutou a bola do meio-campo, "quando tinha espaço para progredir em contra-ataque", foi assobiado pelos adeptos, atirou a camisola ao chão no final do encontro – e foi despachado por Materazzi no acesso aos balneários. "Perdi a cabeça, mas o Diego Milito, que estava no banco, também queria matá-lo", garante o antigo central.

Zlatan Ibrahimovic, que passara pelo Inter e era, então, futebolista do Barcelona de Guardiola, contou na época à Rai Sport o que viu: "O Materazzi atacou o Balotelli duramente e nunca vi uma coisa destas em tantos anos de futebol. Se ele me tivesse feito aquilo, não sei o que teria feito".

A história bate certo, portanto.

Mas a história não ficou por aqui. Porque Materazzi fez um pedido a José Mourinho: durante os treinos seguintes, em exercícios um-contra-um, seria ele o par de Balotelli numa dança muito peculiar. "O Mourinho disse que sim e o Balotelli durava 30 segundos no treino, depois fugia para os balneários".