Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

“Estou a rir-me, mas isto revolta: Bryan Ruiz ganha 100 mil euros por mês e joga ténis o dia todo, ganhou um torneio, dizem-me que é bom”

Orlando Rollo, vice-presidente do Santos, sobre a situação do antigo médio do Sporting no clube brasileiro, pelo qual não joga desde 2018 após um diferendo com a direção

Matthew Ashton - AMA

Partilhar

Orlando Rollo, vice-presidente do Santos, está contra José Carlos Peres, presidente do Santos, e um dos temas que fratura a relação entre ambos é a gestão do dossier Bryan Ruiz - o médio da Costa Rica, ex-Sporting, não joga pelo Peixe desde 2018, treina à parte e, segundo Rollo, ganha 600 mil reais [100 mil euros] por mês.

“Não sei, é estranho o Bryan Ruiz ficar no Santos. Se eu fosse presidente, como ato de gestão, já teria negociado com o Bryan Ruiz e teria já pedido para ele ir embora. Porquê? Porque o Santos pouparia 600 mil reais por mês de salário”, disse Rollo em entrevista ao jornalista Jorge Nicola.

O 'vice' revela que houve propostas por Ruiz que não foram tidas em conta - provenientes dos EUA e da Costa Rica - e ele não entende porquê, deixando, no ar, suspeições: "Queria saber se há uma prática obscura por trás disto, não sei se há rachadinha [salário partido entre o presidente e o jogador]. Já chegaram propostas pelo Bryan Ruiz, para voltar para a Costa Rica ou para o EUA... Eu abriria a mão na hora, deixava-o ir. Eram 6 milhões de reais por ano que eu pouparia. Se há negociata? Não sei.”

O que Rollo sabe é que Ruiz treina à parte e não gosta. "O Bryan está constrangido por estar a receber 600 mil, a treinar à parte o plantel e a jogar ténis o dia todo lá no Clube dos Ingleses. Ele até ganhou um torneio aqui, foi campeão, e este clube até é bastante renomado. Eu acredito que ele esteja descontente, porque o Bryan é uma referência na Costa Rica. Estou a rir, mas isto é revoltante".

O Santos é treinado pelo português Jesualdo Ferreira.