Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Escreveram que Mourinho queria adiar a Premier League. “As minhas declarações não foram fielmente reproduzidas”

O treinador português José Mourinho, que orienta o Tottenham, rejeitou hoje ter pedido o adiamento do regresso da liga inglesa e reiterou o desejo de que o futebol volte o mais rápido possível e em segurança. Os treinadores e capitães da Premier League reuniram-se na quarta-feira para debater o reinício do campeonato e o protocolo de segurança no regresso aos treinos e José Mourinho, em comunicado, considerou que a sua posição não foi “fielmente refletida na imprensa”

Lusa

Annegret Hilse

Partilhar

O treinador português José Mourinho, que orienta o Tottenham, rejeitou hoje ter pedido o adiamento do regresso da liga inglesa e reiterou o desejo de que o futebol volte o mais rápido possível e em segurança.

Os treinadores e capitães da Premier League reuniram-se na quarta-feira para debater o reinício do campeonato e o protocolo de segurança no regresso aos treinos e José Mourinho, em comunicado, considerou que a sua posição não foi “fielmente refletida na imprensa”.

“Não pedi adiamento. Quero treinar e estou ansioso para que a Premier League retorne o mais rápido possível e em segurança, especialmente agora que estamos a ver que outras ligas estão a preparar-se para a ação”, explicou o treinador português.

Num comunicado divulgado pelo Tottenham, José Mourinho rejeitou ter pedido um adiamento do regresso da prova, originalmente previsto para 12 de junho, como foi refletido nos órgãos de comunicação social ingleses.

José Mourinho referiu que está “extremamente orgulhoso” com a forma como os seus jogadores mantiveram a condição física durante o período de paragem de mais de dois meses (o último jogo foi em casa do Burnley, 1-1, em 07 de março), devido à pandemia de covid-19.

Durante o dia de hoje, a Premier League encerra os contactos com as partes envolvidas, através do sistema de videoconferência, com o governo, a polícia e a federação inglesa, e na segunda-feira os clubes votarão para dar luz verde, ou não, ao plano de reinício da liga.

Após a declaração de pandemia, em 11 de março, as competições desportivas de quase todas as modalidades foram disputadas sem público, adiadas – Jogos Olímpicos Tóquio2020, Euro2020 e Copa América -, suspensas, nos casos dos campeonatos nacionais e provas internacionais, ou mesmo canceladas.

Os campeonatos de futebol de França e dos Países Baixos foram cancelados, enquanto outros países preparam o regresso à competição, com fortes restrições, como sucede na Alemanha, Inglaterra, Itália, Espanha e Portugal, que tem o reinício da I Liga previsto para 04 de junho.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 297 mil mortos e infetou mais de 4,3 milhões de pessoas em 196 países e territórios. O Reino Unido totaliza 33.186 mortos e cerca de 230 mil casos de infeção confirmados.