Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Gullit e uma certa maldição: “Sabíamos que íamos ganhar ao Benfica em 90. Até o Eusébio foi à campa do Guttmann pedir desculpa, que loucura”

O AC Milan 1-0 Benfica de 1990 nas palavras de um dos melhores jogadores da história do futebol europeu

Tribuna Expresso

Simon Bruty

Partilhar

Ruud Gullit, um dos melhores avançados da história do futebol holandês, recordou a final da Taça dos Campeões Europeus de 1990 conquistada pelo seu, então, AC Milan diante do Benfica. E fê-lo recordando uma certa e determinada lenda: a maldição de Béla Guttmann.

"Estávamos bastante confiantes de que poderíamos vencer, porque o Benfica estava amaldiçoado há muito tempo. Eles tiveram um treinador, o Béla Guttmann, que foi despedido em 1962 e depois disse: 'Vocês nunca mais vencerão uma final novamente'. E a verdade é que nunca mais ganharam.Conseguem imaginar isso, o quão louco isso é? Até o Eusébio foi à campa do Guttmann pedir perdão em 1990", disse Gullit à UEFA, a propósito desse encontro que, garante, foi "difícil" ("só ganhámos 1-0, apesar de termos criado chances").

O triunfo não foi exuberantemente festejado por Gullit pois, confessa, estava a recuperar de uma lesão que o tinha deixado "cinco, seis meses" fora de competição - e depois daquela Taça dos Campeões, havia ainda um Mundial para disputar, em Itália.

Por outro lado, o holandês, hoje com 57 anos, refere como era complicado gerir a sua vida privada em Itália, naqueles tempos do AC Milan. "Foi difícil. Não havia para onde ir. Nem no restaurante, nem saindo, nem comprando roupas. Todas as coisas simples. Mas os italianos também, é paixão. Mas como jogador é difícil. Estão sempre a tocar-te e as pessoas querem algo de você o tempo todo".