Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Ronaldo falha penálti, mas a Juventus está na final da Taça

O jogo foi antecedido de um minuto de silêncio em memória das vítimas do novo coronavírus

Lusa

Daniele Badolato - Juventus FC

Partilhar

A Juventus e o AC Milan empataram esta sexta-feira (0-0) na segunda mão da meia final da Taça de Itália de futebol, mas a formação de Cristiano Ronaldo, que falhou um penálti, está na final da competição.

A jogar em casa, a turma de Turim entrou forte e podia ter chegado à vantagem aos 16 minutos, mas o tiro rasteiro de Ronaldo, na marcação de uma grande penalidade, bateu no poste e o marcador manteve-se inalterado até ao final do encontro, na partida que marcou o regresso da competição em Itália, após um interregno de cerca de três meses por causa da pandemia de covid-19.

A Juventus, que jogou desde os 17 minutos com mais um homem, após a expulsão do croata Ante Rebic, beneficiou da igualdade a uma bola alcançada no jogo da primeira mão, com um golo de Ronaldo de penálti, para garantir um lugar na final da Taça italiana, onde vai defrontar o vencedor do encontro entre o Nápoles e o Inter Milão (os napolitanos venceram fora por 1-0), no sábado.

Do lado do AC Milan, o português Rafael Leão foi lançado na partida aos 52 minutos, mas não conseguiu marcar um golo que colocaria a formação de Milão na final.

O jogo de hoje foi antecedido de um minuto de silêncio em memória das vítimas do novo coronavírus, que também será observado antes das partidas da próxima jornada da Série A, que será realizada de 22 a 24 de junho, e antes do início dos jogos da próxima ronda da Série B, bem como dos encontros do 'play-off' da Série C.

Paralelamente, os jogadores da Juventus e do AC Milan subiram ao relvado para o aquecimento com camisolas com mensagens contra o racismo, com Ronaldo e os colegas com uma mensagem de 'No Racism', e Leão e os outros milaneses com a inscrição 'Black Lives Matter'.

Isto, num momento em que o movimento contra o racismo ganhou novo fôlego à escala mundial, depois de, nos Estados Unidos (EUA), o afro-americano George Floyd ter morrido a 25 de maio passado após ter sido detido na rua por um polícia branco que, para o imobilizar no solo, pressionou o joelho no seu pescoço, acabando por o asfixiar.

A morte de Floyd desencadeou uma onda de protestos e distúrbios raciais contra a violência policial exercida pela polícia contra pessoas negras em várias cidades dos Estados Unidos, e a inúmeras manifestações em todo o mundo.

Antes deste encontro, o último jogo realizado foi o Sassuolo-Bréscia (3-0), em 09 de março, e nos três meses seguintes a essa partida, todas as competições foram interrompidas em Itália, um dos países mais atingido pela pandemia, com mais de 34.000 mortes.

A pandemia de covid-19 já provocou quase 423 mil mortos e infetou mais de 7,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.