Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

O governo alemão disse não à presença de público. A liga está OK com isso

O governo alemão rejeitou o plano criado pela DFL, e que tinha sido aprovado pelos 36 clubes da primeira e segunda divisão, e considerou que a existência de público nos estádios não vai acontecer antes de 31 de outubro

Lusa

MARTIN MEISSNER

Partilhar

A Liga alemã de futebol (DFL) aceitou “sem discussão” a decisão do governo germânico recusar o regresso de público aos estádios no arranque da próxima temporada, anunciou hoje o organismo em comunicado.

“A DFL sempre insistiu que o combate ao coronavírus tem a maior prioridade. Por isso, respeitamos a decisão do Ministério da Saúde. O retorno à normalidade deve ser um objetivo de todas as áreas da vida e, por isso, a DFL e os clubes vão preparar da melhor maneira possível o regresso dos adeptos aos jogos”, lê-se no comunicado.

Na segunda-feira, o governo alemão rejeitou o plano criado pela DFL, e que tinha sido aprovado pelos 36 clubes da primeira e segunda divisão, e considerou que a existência de público nos estádios não vai acontecer antes de 31 de outubro, altura em que o país termina a primeira fase de restrições.

O plano da DFL, que iria começar a ser posto em prática já no início da nova temporada, contemplava, entre outros, suspender a presença dos adeptos das equipas visitantes, acabar com os lugares em pé e a proibição de bebidas alcoólicas.

De igual modo, as entradas seriam personalizadas, para que, em caso de infeção, se pudessem detetar possíveis cadeias de transmissão.

A pandemia de COVID-19 já provocou mais de 736 mil mortos e infetou mais de 20,1 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.