Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Em conflito com a direção, Antonio Conte admite sair do Inter: "Há que entender se há vontade de não voltar a repetir um ano destes"

Depois da derrota na final da Liga Europa, Antonio Conte deixou a porta aberta a uma saída, decisão que será tomada nos próximos dias. Apesar do 2.º lugar na Serie A, técnico italiano tem sido muito crítico da gestão desportiva do clube

Lusa

Michael Regan/Getty

Partilhar

O técnico do Inter, Antonio Conte admitiu depois da final da Liga Europa que "foi muito bom treinar o Inter", mas "tudo tem um limite", após já ter, em julho, criticado a gestão da temporada, e abriu a porta à saída, uma decisão que tomará "em dois ou três dias".

"Vamos regressar a Milão, teremos dois ou três dias de férias. Depois reuniremos e analisaremos a temporada, e planearemos o futuro do clube, com ou sem mim. (...) Trabalhámos muito e foi uma temporada dura. É preciso analisar a situação e tomar a melhor decisão para o bem do Inter", atirou.

O técnico destacou a "experiência incrível" que teve nos vice-campeões italianos e assegurou que "não há nenhum rancor", mas que precisa de "entender se a prioridade é o futebol ou a família".

"Passou-se alguma coisa, isso é inegável. Há que entender se há vontade de todos de não voltar a repetir um ano destes. Vou estudar muitas situações, e é correto que o presidente faça o mesmo. Eu não faço marcha atrás", sentenciou.

O presidente do Inter, o chinês Steven Zhang, não abriu a porta à saída, admitindo que todas as partes vão "descansar e depois estudar o futuro", após uma época que classificou como "positiva".

"Este ano não era para ser, voltaremos a tentar. É o bom da competição, pode-se sempre melhorar", atirou.