Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Oficial: Messi vai ficar no Barcelona. E atira-se a Bartomeu por não o deixar sair: "Não cumpriu a palavra"

Numa entrevista ao portal "Goal", Lionel Messi diz que ficará no Barcelona mais um ano e acusa Bartomeu de não cumprir a sua palavra: "Disse-lhes durante todo o ano que queria sair"

Tribuna Expresso

Soccrates Images

Partilhar

É oficial: Lionel Messi não vai sair do Barcelona. Mas não será por sua vontade. Numa entrevista ao portal "Goal", o argentino atira-se a Josep Bartomeu, presidente do clube, a quem acusa de não cumprir a palavra.

"Eu tinha a certeza que estava livre para sair, o presidente sempre disse que no fim da temporada podia decidir sair ou ficar. Não cumpriu a sua palavra", diz o jogador.

"Disse ao clube, inclusivamente ao presidente que queria sair. Disse-lhe isso durante todo o ano. Percebi que era altura para sair. O clube precisa de jogadores mais jovens, jogadores novos e vi que o meu tempo no Barcelona estava a acabar. Com muita pena, porque sempre disse que queria acabar a carreira no Barcelona", conta ainda Messi, recusando que a decisão de sair esteja relacionada com a derrota por 8-2 com o Bayern Munique na Champions.

A questão está numa cláusula que permitia a Messi sair sem custos caso fosse ativada até 10 de junho. O problema é que com o prolongar da temporada, devido à covid-19, nessa data ainda o Barcelona estava a disputar a La Liga e a Champions.

"Eles agarram-se ao facto de eu não ter dito nada até 10 de junho. E essa é a razão pela qual eu vou continuar no clube. Vou continuar no clube porque o presidente disse-me que a única forma de sair é pagando os 700 milhões de euros da cláusula e isso é impossível", explica o argentino, de 33 anos, há 20 no Barcelona.

Messi sublinha ainda na entrevista que poderia optar pela via judicial, mas que "nunca faria isso" ao Barcelona: "É o clube que eu amo, que me deu tudo desde que cheguei. É o clube da minha vida. Nunca me passou pela cabeça levar o Barcelona a tribunal".

"Eu adoro Barcelona e não vou encontrar um lugar melhor do que aqui. mas tenho o direito de decidir, queria procurar novos objetivos e desafios. E poderia depois voltar, porque em Barcelona tenho tudo", diz o avançado.

O argentino diz ainda que pediu para sair porque queria "viver os últimos anos de futebol de uma forma feliz". E que ultimamente não estava a encontrar "essa felicidade no Barcelona".

As lágrimas do filho

Durante a entrevista, Messi falou ainda de como a sua decisão de sair afetou a família, nomeadamente o filho mais velho, Thiago.

"Quando comuniquei o meu desejo de sair à minha mulher e aos meus filhos foi um drama brutal", conta. "Toda a família começou a chorar, os miúdos não querem sair de Barcelona, não querem mudar de escola".

"O Mateo ainda é pequeno e não percebe o que significa ir para outro lugar. Mas o Thiago é mais velho. Ouviu na televisão e perguntou-me. Chorou e pediu-me 'não vamos embora'. Repetia isso... foi mesmo difícil", disse ainda o astro argentino.

Messi garante ainda na entrevista ao "Goal" que a sua atitude "não vai mudar" e vai continuar comprometido em jogar o seu melhor pelo Barcelona.

"Quero sempre ganhar, sou competitivo e não gosto de perder. Quero sempre o melhor para o clube, para o balneário e para mim", frisa.