Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Lloris sofreu *aquele* golo de Eder, e essa é uma "memória dolorosa"

O guardião do Tottenham falava aos jornalistas no Stade de France, nos arredores de Paris, na conferência de antevisão do encontro da terceira jornada do Grupo 3 da Liga A da Liga das Nações, que vai decorrer no estádio em que Portugal se sagrou campeão europeu, em 2016, precisamente perante a seleção gaulesa

Lusa

FRANCK FIFE

Partilhar

O capitão da seleção francesa, o guarda-redes Hugo Lloris, afirmou hoje que a derrota com Portugal, na final do Euro2016 de futebol, é ainda uma “memória dolorosa”, mas afastou qualquer tipo de “sentimento de vingança”.

“É uma memória dolorosa claro, mas aconteceu e está no passado. O jogo de domingo tem outro contexto, com as duas equipas a lutarem pelo primeiro lugar. Portugal é o campeão europeu e vencedor da Liga das Nações. Nós somos campeões do mundo. Vai ser um jogo muito bom e teremos de fazer o nosso melhor, porque poderá ser determinante no apuramento para a fase final”, afirmou Hugo Lloris.

O guardião do Tottenham falava aos jornalistas no Stade de France, nos arredores de Paris, na conferência de antevisão do encontro da terceira jornada do Grupo 3 da Liga A da Liga das Nações, que vai decorrer no estádio em que Portugal se sagrou campeão europeu, em 2016, precisamente perante a seleção gaulesa.

“Não há espírito de vingança. Pertence ao passado. É uma memória dolorosa, mas faz parte da história da seleção francesa. O mais bonito é que, dois anos após esse fracasso, fomos campeões mundiais”, lembrou o jogador de 33 anos.

Para Lloris, que tem 116 jogos pelo seu país, tanto a França como Portugal tiveram uma “excelente evolução” desse a final do último Europeu e considerou que o duelo será um “grande teste” para as duas equipas.

“Somos campeão do mundo e temos de demonstrar que realmente somos os melhores. Há sempre muita expectativa à volta da seleção e sabemos que este será um grande teste”, disse.

O antigo guarda-redes de Lyon e Nice deixou ainda um comentário a Cristiano Ronaldo, capitação da seleção portuguesa, apontando o avançado como um “jogador ultracompleto”.

“Ele tem a capacidade de ser decisivo em quase todos os jogos ou mesmo em todos os jogos. Tenho muita admiração e respeito pelo Cristiano Ronaldo e por toda a sua carreira. É um jogador extraordinário e que será uma ameaça para nós. Como equipa, temos de pará-lo”, frisou.

Portugal defronta no domingo a França, naquele que será o regresso dos campeões europeus ao Stade de France, após o histórico triunfo de 2016, na final do Europeu, num embate entre os dois primeiros classificados do Grupo 3.

No agrupamento da Liga A, lusos e franceses somam seis pontos, com a formação das ‘quinas’ a ter vantagem na diferença de golos, enquanto Suécia e Croácia seguem com zero.

O França-Portugal está agendado para as 19:45 (20:45 horas locais) e terá arbitragem do espanhol Carlos Del Cerro Grande.