Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Covid-19. Adversário do Benfica na Liga Europa com quatro infetados

Os três futebolistas e o treinador de guarda-redes do Standard de Liège foram colocados em quarentena. O Benfica defronta os belgas no dia 29, em jogo do Grupo D da Liga Europa. Liège é a zona mais afetada da Bélgica pelo novo coronavírus

Lusa e Tribuna Expresso

O médio Nicolas Raskin, de 19 anos e natural de Liège, é um dos infetados

Isosport/MB Media

Partilhar

Três futebolistas e o treinador de guarda-redes do Standard Liège testaram positivo para o novo coronavírus, na véspera da receção ao Rangers, para o grupo D da Liga Europa, que também integra o Benfica, anunciou hoje o clube belga.

O Benfica defronta o Standard no dia 29 de outubro.

“Os quatro foram de imediato colocados em quarentena e, como tal, não participarão no jogo de quinta-feira com o Rangers, e no de domingo contra o Saint-Trond VV”, informou o Standard Liège.

O clube indica que outros dois jogadores que testaram negativo, mas que coabitam com um dos positivos, também foram afastados do grupo até à realização de um segundo teste.

Os futebolistas que testaram positivo foram Moussa Sissako, Nicolas Raskin e Michel-Ange Balikwisha.

Benfica: Adel Taarabt está de volta

O marroquino foi convocado por Jorge Jesus para o jogo da Liga Europa, a disputar na quinta-feira, contra o Lech Poznán, na Polónia

Na semana passada, a radiotelevisão pública belga RTBF informou que o Rangers tinha pedido para treinar no seu estádio na véspera do jogo, de modo a encurtar a sua estadia naquele país, particularmente afetado pela pandemia de covid-19.

Com uma incidência acumulada de 828,6 casos por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias, segundo a última atualização de dados do Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças, a Bélgica é o segundo país da União Europeia mais afetado pela covid-19, só atrás da República Checa (905,1).

Liège é a zona mais afetada dentro do país, com uma incidência acumulada de 1.510 casos.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 40,4 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.