Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Futebol internacional

Marcus Thuram cuspiu num adversário e o pai Lilian ficou chocado: "Perguntei-me se aquele era mesmo o meu filho"

O filho do antigo internacional francês foi suspenso por seis jogos depois de ter cuspido num adversário durante um jogo da Bundesliga do Borussia Monchengladbach. O pai viu o lance e ficou em choque, mas garante que as ações do filho não foram intencionais

Tribuna Expresso

MARIUS BECKER/Getty

Partilhar

Lilian Thuram admitiu ter ficado “chocado” depois de ver o filho, o avançado do Borussia Monchengladbach Marcus Thuram, a cuspir num adversário durante um jogo da Bundesliga, que acabou por punir severamente o jovem francês com seis jogos de suspensão e uma multa de 40 mil euros.

O jovem de 23 anos foi ainda sancionado pelo próprio clube, que lhe retirou um mês de salário.

“Percebo perfeitamente o que tem vindo nos media. Eu próprio estava a ver o jogo e fiquei chocado. Até perguntei a mim próprio se aquele era mesmo o meu filho”, disse o antigo defesa à rádio RCI de Guadalupe, de onde Thuram é natural.

Lilian Thuram é o jogador mais internacional de sempre pela seleção francesa e fora dos campos tem-se distinguido pelo seu trabalho como ativista pela UNICEF e contra o racismo e acredita que o filho tem de aceitar as consequências, embora sublinhe que Marcus lhe tenha explicado que a ação “não foi intencional”.

“Ele explicou-se, disse que estava cheio de raiva e que por isso insultou o rival e sem querer a saliva saiu-lhe da boca”, disse o ex-lateral, explicando ainda que a primeira coisa que Marcus fez após o caso foi “ligar ao irmão mais novo, Kephren”, também ele futebolista, no Nice.

“Ligou-lhe e disse-lhe ‘Kephren, não fiz de propósito, eu juro, estava a ponto de chorar, enervado’. E se ele ligou primeiro ao irmão para pedir desculpa é porque conhece bem o pai que tem”, relatou Thuram.

Thuram diz também que o filho aceita “que deve ser punido porque aquele gesto não deve acontecer num campo de futebol”.