Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Futebol internacional

Lacazette, Xhaka e Saka sacam o Arsenal do vórtice da depressão

Mesmo sem os brasileiros Gabriel, David Luiz e Willian, o primeiro infetado por estar infetado com o novo coronavírus e os restantes devido a doença, a equipa de Mikel Arteta bateu o Chelsea, no dérbi londrino

Lusa

JULIAN FINNEY

Partilhar

O Arsenal regressou hoje aos triunfos na Liga inglesa de futebol, após vencer o ‘vizinho’ Chelsea, por 3-1, no dérbi de Londres, e pôs fim a uma série de sete jogos sem vencer na competição, na 15.ª jornada.

Os ‘gunners’, que são adversários do Benfica nos 16avos de final da Liga Europa, vinham de uma série ‘negra’ na Premier League, que incluiu quatro derrotas nos últimos sete jogos, e deram um ‘pontapé’ na crise, num encontro em que já venciam por 2-0 ao intervalo.

A atuar em casa, o avançado francês Lacazette, aos 34 minutos, deu vantagem ao Arsenal, na marcação de uma grande penalidade, e o médio suíço Xhaka, aos 44, aumentou a diferença, na marcação de um livre direto.

Mesmo sem os brasileiros Gabriel, David Luiz (ex-Benfica e ex-Chelsea) e Willian (ex-Chelsea), o primeiro infetado por estar infetado com o novo coronavírus e os restantes devido a doença, a equipa de Mikel Arteta confirmou o triunfo, aos 56 minutos, através de Saka.

Com o internacional português Cédric Soares a assistir ao encontro do banco de suplentes dos ‘gunners’, o Chelsea reduziu a diferença aos 87 minutos, por Abraham.

Com este resultado, o Chelsea passou a dividir o quinto lugar com Aston Villa, Tottenham (menos um jogo) de Mourinho e Southampton, todos com 25 pontos, enquanto o Arsenal, que não vencia desde o início de novembro, apanhou provisoriamente o Leeds United, no 14.º posto, com 17.

  • Mikel Arteta refugia-se nas estatísticas, mas o suave Arsenal não é uma questão matemática pura
    Futebol internacional

    No campo, a equipa londrina já não mostra a queda por escolher o passe vertical certo, no momento certo, que demonstrou na parte pós-confinamento da época passada. O Arsenal é passivo a defender, não tem mostrado ideias ou capacidade para as executar para atacar a baliza adversária quando chega ao último terço do campo e o treinador, Mikel Arteta, tem-se refugiado nas estatísticas, probabilidades e fortuna para defender a sua incredulidade com os oito jogos seguidos sem vencer em provas inglesas. Este sábado defronta o Chelsea (17h30, Sport TV1), contra quem cruzar muito a bola para a área poderá não ser suficiente