Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Paulo Fonseca e a gafe das seis substituições: "Temos todos de conhecer as regras. O problema é que elas estão sempre a mudar"

O team manager da Roma foi despedido depois das seis substituições num jogo em que só eram permitidas cinco. Paulo Fonseca diz que a responsabilidade é partilhada por todos, mas imprensa italiana adianta que o balneário não gostou nada do episódio

Lusa

Alessandro Sabattini/Getty

Partilhar

O treinador português Paulo Fonseca garantiu hoje que mantém o apoio do presidente da Roma e que está focado na receção de sábado ao Spezia, que afastou a sua equipa da Taça de Itália de futebol esta semana.

“Sempre senti o apoio do presidente. Em todo o tempo que estou cá. Ainda hoje falei com ele e senti de novo, e como sempre, o seu apoio. Isso para mim não é uma questão”, desvalorizou.

O trabalho do técnico luso tem sido questionado nos últimos tempos e a eliminação na Taça, em casa, frente ao Spezia, 13.º do campeonato (4-2, após prolongamento), complicou ainda mais a situação, principalmente depois de a equipa ter violado os regulamentos ao fazer seis substituições, quando são permitidas apenas cinco.

O clube, que tinha sido eliminado no campo, foi castigado com uma derrota por 3-0 e o ‘team manager’ da equipa, Gianluca Gombar, acabou despedido, facto que terá suscitado o desagrado dos futebolistas, solidários com o dirigente, e que esperariam uma partilha de responsabilidades.

“Temos todos de conhecer as regras. O problema é que elas estão sempre a mudar, todos os anos, e há outras competições em que são permitidas [as seis substituições]. Não vou fugir à minha responsabilidade, mas agora é hora de pensar no próximo jogo”, atalhou.

Problemas no balneário?

Questionado diretamente se sentia que a equipa está com ele, Paulo Fonseca deixou um claro “sim, sinto”, contudo esquivou-se à segunda parte da pergunta, se se demitiria caso perdesse a confiança do grupo.

“Este é um projeto novo, com um presidente novo. Com o tempo surgem problemas e dificuldades, mas queremos crescer com elas. Não sou o tipo de pessoa de desistir”, realçou.

O técnico português disse ainda não “alimentar especulações” sobre alegados problemas com alguns jogadores e garantiu estar a trabalhar para procurar “as melhores soluções” para reforçar a equipa agora no mercado de inverno.

A Roma partilha o terceiro lugar do campeonato com o Nápoles, com 34 pontos, a nove do líder AC Milan, que tem três de vantagem para o Inter. A campeã Juventus, de Cristiano Ronaldo, é quinta com 33.