Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Futebol internacional

Mais história a ser feita por Stéphanie Frappart: será a primeira mulher a arbitrar um jogo de qualificação de seleções masculinas

Depois de ser a primeira mulher a apitar um jogo de futebol masculino da Ligue 1, da Liga dos Campeões e da Super Taça Europeia, a francesa Stéphanie Frappart foi nomeada para arbitrar o Países Baixos-Letónia, a contar para a fase de apuramento para o Mundial de 2022

Lusa

Eric Alonso/Getty

Partilhar

A francesa Stéphanie Frappart vai tornar-se a primeira mulher a arbitrar um jogo de qualificação para o campeonato do mundo de futebol, no sábado, quando dirigir o embate entre Países Baixos e Letónia.

Frappart, de 37 anos, já arbitrou em setembro de 2020 um jogo da Liga das Nações, então também com a Letónia, na visita a Malta (1-1).

A francesa está também nomeada pela UEFA para a visita da seleção portuguesa à Rússia, da segunda mão do play-off de qualificação para o campeonato da Europa de futebol feminino, em 13 de abril, quatro dias depois da primeira mão, marcada para o Estádio do Restelo, em Lisboa.

Frappart tem sido pioneira na arbitragem de jogos de competições masculinas, tendo sido a primeira a apitar na Liga dos Campeões, na vitória caseira da Juventus frente ao Dínamo Kiev (3-0), em 2 de dezembro de 2020, depois de ter iniciado a arbitragem feminina na Liga francesa, em abril de 2019.

Entre os principais jogos que arbitrou, destaque para a Supertaça Europeia de 2019, entre Liverpool e Chelsea, que os reds venceram no desempate por grandes penalidades (5-4), depois do empate 1-1 no tempo regulamentar e 2-2 no prolongamento, e para a final do Mundial feminino de 2019.

Em fevereiro último, a brasileira Edina Alves Batista liderou uma equipa de arbitragem 100% feminina no jogo de atribuição do quinto lugar do Mundial de clubes, entre Ulsan Hyundai e Al Duhail.

Antes, apenas a alemã Bibiana Steinhaus tinha arbitrado nos cinco principais campeonatos europeus, estreando-se no embate entre Hertha Berlim e Werder Bremen (1-1), em 10 de setembro de 2017.

Na CONCACAF, quatro árbitras norte-americanas vão estrear-se em jogos de qualificação para o Mundial, uma como quarto árbitro, em quatro jogos.

Kathryn Nesbitt, que foi a primeira mulher a integrar uma equipa de arbitragem numa competição profissional nos Estados Unidos, vai estar hoje (madrugada de sexta-feira, em Lisboa), no embate entre Canadá e Bermuda, e no jogo de sábado, entre Anguila e a República Dominicana.

No domingo, Jennifer Garner vai ser árbitro assistente no jogo entre Aruba e Suriname, tendo Tori Penso como quarto árbitro, enquanto Brooke Mayo será assistente no embate entre as Ilhas Caimão e Canadá.