Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Futebol internacional

Superliga Europeia. "Nojo", "ganância", "escândalo" que trai a memória do clube: Neville e Alex Ferguson atiram-se ao United

O Manchester United é um dos seis clubes ingleses a aderir ao projeto da Superliga Europeia. Mas isso não significa que haja consenso entre as lendas do clube. Grandes figuras dos Red Devils, como Sir Alex Ferguson, Gary Neville ou Roy Keane tecem duras críticas à iniciativa de juntar os clubes milionários da Europa numa competição à parte

Tribuna Expresso

Martin Rickett - PA Images

Partilhar

O antigo – lendário – treinador do Manchester United disse que a opção pela Superliga Europeia, o projeto de juntar os clubes ricos do continente numa competição à parte, será “um afastamento de 70 anos de história do futebol” e que “os adeptos gostam da Liga dos Campeões” tal como ela está.

A iniciativa, que tem sido discutida há já bastante tempo, dá mostras de querer andar para a frente. O Manchester United, clube indissociável do treinador escocês, que o levou à glória europeia duas vezes, é um dos interessados em criar uma competição que rivaliza com a Liga dos Campeões.

“A conversa sobre a Super Liga é um afastamento de 70 anos de futebol europeu entre clubes. Tanto como jogador do Dunfermline nos anos 60 como enquanto treinador do Aberdeen, quando ganhámos a Taça das Taças, para um pequeno clube da Escócia era como escalar o Monte Evereste,” disse Ferguson à “Reuters”.

“No meu tempo, no United, jogámos quatro finais da Liga dos Campeões e foram sempre noites muito especiais,” acrescenta o antigo técnico. Falando antes de ser confirmado o envolvimento do Manchester United no projeto, Sir Alex parecia querer alimentar a esperança de que o seu clube do coração se mantivesse fora do grupo milionário. “Não tenho a certeza de que o United esteja envolvido nisto, não tenho nada a vez com o processo de tomada de decisões.”

Um dos famosos pupilos de Ferguson, Gary Neville, antigo capitão do Manchester United, aproveitou o facto de estar de serviço como comentador da Sky Sports durante o jogo que opôs os Red Devils ao Burnley, para tecer algumas críticas. “Penso que fazer propostas dessas no meio da pandemia, no meio de uma crise económica, é um escândalo absoluto,” disse o mais velho dos irmãos Neville.

“O United e os outros seis “grandes” da Premier League que subscreveram o projeto, contra o resto da liga, deviam ter vergonha. Não consigo concentrar-me no jogo. Deviam tirar pontos a essas seis equipas inglesas que aderiram,” disse o antigo capitão dos Red Devils.

De entre os clubes ingleses, Manchester United, Manchester City, Liverpool, Chelsea, Arsenal e Tottenham assinaram cartas a declarar a sua intenção de participarem no novo projeto. Os outros clubes europeus incluem Barcelona, Real Madrid, AC Milan, Inter de Milão, entre outros. O “Daily Mail” refere que isso significaria o fim da competição doméstica e continental tal como a conhecemos.

A própria UEFA já avisou que tomará medidas, incluindo o recurso aos tribunais, contra o “projeto cínico”. Depois de sugerir que tirem pontos aos clubes aderentes, Gary Neville foi mais longe e sugeriu que lhes sejam retirados títulos conquistados. “Sou adepto do Manchester United há 40 anos e estou absolutamente enojado. Estou enojado com o Manchester United e com o Liverpool, principalmente.”

Neville prossegue, lembrando as origens do clube de Manchester: “100 anos, criado por trabalhadores desta zona, e agora juntam-se a uma liga sem competição, da qual não podem ser relegados? Os donos deste clube, tal como os do Liverpool, Chelsea ou Manchester City não têm nada a ver com o futebol neste país. Há 100 anos de história, com os adeptos a viver e a amar estes clubes”.

Antigo colega de equipa de Neville, Roy Keane também abordou o tema: “Tem tudo a ver com dinheiro, ganância. Ainda não ouvimos nada da parte da FIFA mas isto não soa bem, esperemos que eles (FIFA) consigam parar isto a tempo porque é apenas pura ganância”.