Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Futebol internacional

Benfica sobe cinco lugares na lista das marcas mais valiosas do futebol mundial

Consultora Brand Finance aponta as 50 marcas mais valiosas do mundo do futebol, com o Benfica a surgir este ano na posição 41. Já na avaliação do valor dos clubes enquanto empresas o Benfica ocupa o 20º lugar e o Futebol Clube do Porto está em 50º. O Sporting não surge na lista

Miguel Prado

PATRICIA DE MELO MOREIRA/Getty

Partilhar

O estudo da consultora Brand Finance manteve na edição de 2021 o pódio dos clubes com as marcas mais valiosas do futebol mundial: o primeiro lugar é do Real Madrid, o segundo é do Barcelona e a terceira marca mais valiosa é o Manchester United. Na listagem das 50 marcas mais valiosas, que não inclui nenhum clube de fora da Europa, surge apenas um clube português, o Benfica, que este ano está na posição 41, cinco degraus acima da posição de 2020 (46).

A análise da Brand Finance, centrada no valor económico que a marca de cada clube tem, já se debruçou este ano sobre o impacto reputacional do projeto da Super Liga europeia, estimando que os clubes fundadores viram o valor das suas marcas deteriorar-se em cerca de 600 milhões de euros por causa da adesão a esse projeto de competição.

Outra conclusão do relatório anual é que no Top 50 das marcas mais valiosas do futebol europeu os clubes ingleses concentram 43% do valor global deste ranking.

Inglaterra tem um valor de marcas de futebol estimado agora em 7,4 mil milhões de euros, mais do dobro dos 3,5 mil milhões que valem as marcas dos clubes de Espanha e dos 3,3 mil milhões em que estão avaliadas as marcas dos clubes da Alemanha. Portugal surge com uma avaliação de apenas 114 milhões de euros em termos de marcas.

Matt McNulty - Manchester City

Este ano, em termos de valor da marca, o Manchester City subiu uma posição, para o quarto lugar, e o Bayern de Munique também subiu um degrau, para o quinto lugar. O Liverpool, que era a quarta marca mais valiosa globalmente, caiu para a sexta posição.

Em termos relativos, a maior desvalorização da marca entre os clubes europeus pertence ao Wolves, com uma queda de 42,6%, seguido da Roma, cuja marca desvalorizou 40,6% face ao ano passado. A maior valorização relativa foi do Zenit, cuja marca valorizou 35,4% num ano, seguido do Aston Villa, com uma melhoria de 28,3% no valor económico da respetiva marca.

Quanto aos clubes portugueses, o Benfica tem a posição 41 em termos de valor económico da marca, mas a força da marca das águias está melhor classificada, segundo a Brand Finance, ocupando a posição 22 (quatro lugares abaixo do ano passado).

O relatório analisa ainda o valor dos clubes enquanto empresas (ou seja, não apenas pelo valor da marca) e aí Portugal já conta com dois clubes. O Benfica tem o 20º negócio mais valioso da lista (avançou oito posições face a 2020). O Futebol Clube do Porto tem a posição 50 (tendo caído 14 lugares face à edição do ano passado).

Nesta análise, o Bayern Munique tem agora o maior valor empresarial do mundo, com uma avaliação de 3,6 mil milhões de euros, acima dos 3,3 mil milhões de há um ano, quando estava em sexto lugar nesta lista. Destronou o Real Madrid, que é agora o segundo em termos de valor empresarial, com 3,57 mil milhões de euros, abaixo dos 4,2 mil milhões de 2020.