Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Sergio Ramos, mais uma era que acaba no Real Madrid

O Real Madrid confirmou sorrateiramente no seu site e nas suas redes, durante o Euro 2020, que o seu maior símbolo espanhol desde a saída de Raúl vai abandonar o clube. Foram 16 as temporadas de Sergio Ramos no clube, mas o capitão, já com 35 anos, sairá como outros líderes antes dele: assim, anunciado como se fosse algo menor

Diogo Pombo

PIERRE-PHILIPPE MARCOU/Getty

Partilhar

Nos tempos recentes, como quem diz nos últimos meses desta época, vimo-lo de barba farta e cabelo de igual fartura, a deixar crescer o que lhe sai da cabeça e do queixo em proporções inversas ao tempo que passou em campo durante 2020/21 - uns meros 21 jogos, 2.316 minutos de ação reduzida para quem usa a braçadeira no Real Madrid e, realmente, era muito do que o Real Madrid foi na década que passou.

A presença de Sergio Ramos lá atrás era um torre, um esteio que o clube há muito erguera, capaz de exibições anuladoras e sem falhas sobre qualquer avançado ou ameaça atacante. Em muitos dos seus dias também eram dele os golos milagrosos para salvar o clube naquele slot de tempo que virou o momento Real Madrid; em jogos de aperto ou de maus resultados iminentes, lá aparecia o espanhol na área, a marcar um golo.

Foi assim na final da Liga dos Campeões de 2014, em Lisboa, os exemplos são tantos que seria redundante exemplificar mais ainda como, ao longo de 671 jogos, o defesa central espanhol foi o herói quando tanta gente - Ronaldos, Benzemas, Bales, Kakas, Modrics, Bales e por aí fora - haveria na calha, antes dele, para decidir jogos.

Mas a sua influência mirrou, aos poucos, durante esta época, as lesões e problemas físicos a caírem sobre o espanhol um pouco de rompante, afinal a idade é uma inevitabilidade e Sergio Ramos deparou-se com ela agora, aos 35 anos. Falhou jogos importantes (35, ao todo) e contou 150 dias no badalado estaleiro.

Nunca contou tanto tempo longe do relvado e os rumores, que não eram novos, surgiram, seria ele a próxima estrela galática prestes a sair do Real Madrid, essas suspeições acentuaram-se quando Luis Enrique não o convocou para o que seria, provavelmente, o seu último Campeonato da Europa. Pelos vistos, seria também a derradeira oportunidade para ser o capitão do Real Madrid a capitanear a seleção espanhola.

Sergio Ramos vai embora do gigantesco clube madrileno que anuncia a partida de mais um dos seus heróis com um simples comunicado, curto e mais do que conciso, lembrando os tempos em que se despediu de Raúl ou Iker Casillas, lendas que o antecederam.

Esta quinta-feira, pelas 11h30, há conferência de imprensa para explicar o que o Real Madrid ainda não é capaz de justificar - é tido que ninguém gosta de despedidas, mas o clube tem-se despedido de várias lendas assim, só assim, quase como se nada fosse.