Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Polícia que matou ex-futebolista Dalian Atkinson culpado de homicídio involuntário

Atkinson, que se notabilizou no Aston Villa na década de 1990, morreu aos 48 anos, em agosto de 2016, depois de receber a descarga de uma arma de eletrochoque de um polícia em Telford, durante um incidente ocorrido perto da casa do seu pai

Mirrorpix/getty

Partilhar

O polícia responsável pela morte do ex-futebolista Dalian Atkinson, em 2016, após sofrer a descarga de uma arma de eletrochoque durante 33 segundos, foi esta quarta-feira considerado culpado de homicídio involuntário.

Atkinson, que se notabilizou no Aston Villa na década de 1990, morreu aos 48 anos, em agosto de 2016, depois de receber a descarga de uma arma de eletrochoque de um polícia em Telford, durante um incidente ocorrido perto da casa do seu pai.

Depois de mais de 18 horas de deliberação, os jurados de um tribunal em Birmingham (região central da Inglaterra) consideraram o polícia Benjamin Monk, de 43 anos, inocente da acusação de homicídio, mas culpado de homicídio involuntário (sem intenção de matar).

Atkinson começou a carreira no Ipswich Town, antes de se tornar conhecido no Sheffield Wednesday, em 1989. O avançado partiu para Espanha, para representar a Real Sociedad, antes de regressar a Inglaterra, para o Aston Villa.