Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Futebol internacional

As ligas europeias batem o pé ao Mundial a cada dois anos: “Não vamos deixar que se tomem decisões unilaterais que prejudiquem o futebol”

Depois da UEFA, a associação que reúne os 13 principais campeonatos europeus, incluindo os cinco maiores e a liga portuguesa, insurgiu-se contra a ideia defendida por Arsène Wenger, conselheiro da FIFA, de o Campeonato do Mundo de futebol passar a jogar-se de dois em dois anos

Diogo Pombo

JEWEL SAMAD/Getty

Partilhar

A ideia pairava no ar, parecia fina neblina, da que toda a gente até pode nem ver muito bem embora saiba que anda por ali no ar. Haver um Campeonato do Mundo de futebol a cada dois anos em vez de esperar quatro por cada edição seria, à cabeça, retirar-lhe o fator que a tem como a competição mais especial que jogadores, treinadores e adeptos esperam do futebol.

Até que veio uma voz que é escutada sim ou sim, por vir de quem vem, defender a bienalidade do Mundial.

Arsène Wenger não treina equipas há mais de três anos, mas, durante 21, ocupou-se do Arsenal e foi em Londres que reuniu quase todos os louros de uma carreira que o tem como um dos técnicos mais louvados de sempre, sobretudo pela postura e presença ponderada. Em entrevista ao "L'Équipe", o hoje conselheiro da FIFA defendeu a proposta como garante de "mais simplicidade para os clubes e menos problemas para as seleções", assegurando que “a intenção é verdadeiramente melhorar a qualidade do jogo e das competições, não há qualquer interesse financeiro”.

Mas, depois de a UEFA já se ter oposto à ideia, agora foi a associação European Leagues, que reúne 13 dos principais campeonatos europeus, a opor-se e a criticar a proposta que estará a ser estudada pela FIFA, que ainda não se pronunciou sobre se tal será, mesmo, algo a ser considerado nas catacumbas da entidade.

A associação das ligas europeias vincou que a criação ou a expansão de competições para clubes e seleções "não são as soluções para os atuais problemas" do futebol, que já tem "um calendário congestionado". Em comunicado, os 13 campeonatos — nos quais se incluiem a Premier League, a La Liga, a Bundesliga, a Seria A, a Ligue 1 e a Liga Bwin portuguesa — opõem-se "firme e unanimemente a quaisquer propostas para organizar um Mundial da FIFA a cada dois anos".

Mais do que bater o pé no chão em desacordo, a European Leagues parece querer vincar essa pegada, escrevendo também que vai "trabalhar com outros agentes" para impedir "as entidades reguladoras" do futebol "tomem decisões unilaterais que prejudiquem o futebol doméstico", descrito como "a fundação da indústria que tem a maior importância para os clubes, jogadores e adeptos por toda a Europa e no Mundo".

A FIFA permanece em silêncio sobre este turbilhão de críticas dirigidas à ideia badalada por Arsène Wenger. Por enquanto, oficialmente continua a ser apenas uma ideia elogiada por um conselheiro da entidade.