Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Futebol internacional

O imbróglio acabou: FIFA autoriza clubes ingleses a utilizarem jogadores sul-americanos que tenham representado a sua seleção

Devido às regras de quarentena que o Reino Unido impõe a viajantes oriundos da América do Sul, os clubes da Premier League tinham acordado não libertar jogadores para as seleções desse continente. As federações responderam com queixas na FIFA para, também, impedirem os futebolistas de atuarem pelos clubes quando regressassem, mas, agora, a entidade anunciou uma espécie de tréguas

Lusa

Tony McArdle - Everton FC

Partilhar

As federações de Brasil, Chile, México e Paraguai retiraram as queixas que tinham interposto na FIFA, permitindo aos clubes ingleses utilizar os futebolistas daqueles países sul-americanos nos jogos deste fim de semana, informou hoje o organismo regulador.

Vários jogadores de equipas da Liga inglesa foram convocados pelas respetivas seleções nacionais para os jogos de qualificação para o Mundial2022, mas os clubes opuseram-se à saída de Inglaterra para países integrados na lista vermelha do Reino Unido relativamente à pandemia de covid-19, o que obrigaria a uma quarentena de 10 dias no regresso.

“Em sinal de confiança, boa vontade e cooperação, as federações de Brasil, Chile, México e Paraguai, em contacto estreito com a FIFA, decidiram retirar as queixas sobre os jogadores que atuam em clubes ingleses e não foram libertados por estes para os recentes jogos internacionais”, informou a FIFA, em comunicado.

A decisão anunciada pelo organismo regulador do futebol mundial tem ainda em conta os “sinais positivos e o diálogo construtivo” com o governo britânico relativamente à utilização dos jogadores sul-americanos pelas respetivas seleções na ‘janela’ de jogos internacionais em outubro.

“O Governo do Reino Unido está agora aberto a encontrar uma solução razoável com os três organismos [FIFA, Federação Inglesa de Futebol e ‘Premier League’], que estão a trabalhar em conjunto, num espírito de entendimento recíproco, nos interesses de todos”, indica o comunicado.