Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Futebol internacional

Cesare, Paolo e agora Daniel: três gerações de Maldinis a marcar na Serie A

Daniel é neto de Cesare e filho de Paolo Maldini e ao contrário dos antecessores não é defesa: é um médio ofensivo que aos 19 anos se estreou este sábado como titular no Milan e logo com um golo, tornando-se na terceira geração de Maldinis a marcar no campeonato italiano

Lídia Paralta Gomes

Gabriele Maltinti

Partilhar

Sobre os filhos dos grandes jogadores recai sempre uma pressão adicional para que ultrapassem os feitos dos pais, ou pelo menos que igualem. Nem sempre acontece, mas o clã Maldini poderá gabar-se de ter dois jogadores de classe mundial e que marcaram de forma indelével a história do futebol italiano.

Primeiro foi Cesare, defesa elegante, com grande capacidade técnica, com mais de 400 jogos pelo Milan entre as décadas de 50 e 60, onde ganhou quatro títulos italianos e uma Taça dos Campeões Europeus em 1962/63, batendo o Benfica na final.

Em 1955, o seu primeiro golo no campeonato italiano foi até frente à equipa onde deu os primeiros passos, no Triestina, da cidade de Trieste, na fronteira com a Eslovénia, onde a família tem origens.

Cesare Maldini a defender Eusébio na final da Taça dos Campeões Europeus de 1963

Cesare Maldini a defender Eusébio na final da Taça dos Campeões Europeus de 1963

PA Images

Paolo conseguiu fazer melhor que o pai. Primeiro como defesa esquerdo e depois como central, a glória do Milan, onde fez toda a carreira, 25 épocas sem interrupções, é ainda hoje considerado um dos melhores defesas da história. Capitão do Milan e da seleção italiana tal como o pai, o currículo é ainda mais impressionante, com sete títulos na Serie A e cinco títulos europeus, entre Taças dos Campeões Europeus e Ligas dos Campeões. No total, foram mais de 900 jogos pelo Milan, com 33 golos marcados, número respeitável para um defesa. O primeiro golo na Serie A foi contra o Como, em 1987.

Mas agora há uma nova geração de Maldinis e desta vez não é na linha defensiva. Daniel até começou a jogar em terrenos mais recuados, mas foi subindo até se tornar num médio ofensivo de boa leitura de jogo e capacidade de drible. Daniel estreou-se oficialmente na equipa principal do Milan em fevereiro de 2020, num jogo da Serie A frente ao Verona, e este sábado foi pela primeira vez titular pela equipa que fez do avó e do pai mitos e onde fez toda a caminhada enquanto jogador nas camadas jovens.

Paolo Maldini, o mítico número 3 do Milan

Paolo Maldini, o mítico número 3 do Milan

Offside

E a estreia a titular não poderia ter corrido melhor: frente ao Spezia e com o pai Paolo nas bancadas, Daniel marcou de cabeça logo nos primeiros minutos da 2.ª parte. A jogar em casa, o Spezia ainda faria o empate, com a vitória do Milan a surgir já muito próximo do apito final, pelo espanhol Brahim Díaz.

Daniel tornou-se assim na terceira geração de Maldinis a marcar na Serie A. O primeiro passo está dado, mas até chegar à condição de imortal que Cesare e Paolo têm em San Siro ainda faltam muitos golos e títulos ao jovem.

Com 19 anos, tem todo o tempo do mundo.