Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Futebol internacional

Simeone ligou a Suárez para saber se havia a "mínima hipótese" de ter Messi no Atlético. Mas o PSG estava "obcecado" em contratar Leo

Numa entrevista ao jornal "Olé", o treinador do Atlético de Madrid confessou que, no passado verão, se interessou pela situação de Messi no Barcelona, mas a presença do PSG na corrida para incorporar o argentino impossibilitou o negócio

Tribuna Expresso

DeFodi Images/Getty

Partilhar

Ao longo dos últimos anos, poucos treinadores terão sofrido mais com a genialidade de Messi do que Diego Pablo Simeone. Em vários duelos entre Barcelona e Atlético de Madrid, os minuciosos planos do técnico argentino foram destroçados pela genialidade do seu compatriota, que num lance destruía todo o trabalho coletivo preparado por "el Cholo".

Pois bem, quando, no último verão, se soube que Messi abandonaria o Camp Nou, Simeone pensou na possibilidade de ter, na sua equipa, o craque que se habituara a tentar anular. O treinador do Atlético de Madrid fez esta confissão numa entrevista ao jornal "Olé", do seu país.

"Liguei ao Suárez devido ao que estava a acontecer no Barcelona", disse Simeone, que afirma que não ligou a Messi "por respeito", mas contactou Suárez para "perguntar-lhe como estava Messi e para saber se havia a mínima possibilidade de que Messi fosse para o Atlético".

No entanto, segundo Simeone, esta possibilidade durou "três horas", porque o PSG estava "obcecado com a contratação". "É como quando vês um avião no céu e dizes lá vai ele'", explica o técnico.

Para Simeone, Messi deve "jogar sempre numa equipa que queira ganhar", num conjunto que "saiba o que deve fazer para ganhar". O argentino opina que "não importa a maneira de jogar" da equipa que tiver Messi, mas sim "que essa equipa esteja preparada para ganhar". "Não deves pensar nele, mas sim na equipa", remata "el Cholo".