Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Futebol internacional

Descalabro e história em Old Trafford: Liverpool vai a casa do Manchester United golear por 5-0

Humilhação para o Manchester United no clássico do norte de Inglaterra, manietado pelo Liverpool, com um hat-trick de Salah, o primeiro de um jogador adversário em Old Trafford em toda a história da Premier League. Fim de linha para Ole Gunnar Solskjaer?

Lídia Paralta Gomes

Michael Regan

Partilhar

Não haverá muitos jogos tão capazes de parar o mundo quanto um Manchester United - Liverpool, o clássico do norte de Inglaterra, mas por estes dias um dérbi global entre dois dos clubes com mais adeptos planisfério fora.

Então como explicar as imagens de adeptos do Manchester United a sair do estádio em pleno intervalo? Talvez só com uma das exibições mais desastrosas de que há memória da equipa da casa - e já nem a aura de Old Trafford parece proteger este Man. United de Ole Gunnar Solskjaer. Quando Anthony Taylor apitou para o fim da 1.ª parte, já os red devils perdiam por 4-0, dado histórico já que nunca antes na história de Premier League o United tinha ido para o intervalo a perder por tal humilhante resultado.

O resultado, diga-se, era um espelho da exibição catastrófica do United, desorganizado a defender e inócuo no ataque. Aos 5’, já o Liverpool estava na frente, com um golo de Naby Keita isolado por Salah após uma jogada rápida que começou pela lateral, com os jogadores do United a seguir a bola com os olhos. Aos 12’, uma espécie de momento de comédia involuntária, com Maguire e Shaw a irem um contra o outro à entrada da área, oferecendo a bola a Keita. Alexander-Arnold cruzou e o português Diogo Jota estava na área para fazer o 2-0.

Shaun Botterill

Ainda antes da 1.ª parte terminar havia mais história a fazer, agora individual. Salah marcou aos 38’, ultrapassando assim Didier Drogba como o jogador africano com mais golos na Premier League. Um registo que o egípcio aumentou minutos depois, a aparecer sozinho em frente a De Gea perante o desespero de desorganização que era então a linha defensiva da equipa da casa.

Seria difícil a 2.ª parte ser mais complicada que a 1.ª para o Manchester United mas não andou longe disso. Sem conseguir parar os movimentos dinâmicos do ataque do Liverpool, logo aos 49’ a equipa de Cristiano Ronaldo e Bruno Fernandes viu Henderson a isolar Salah com uma trivelada a meio-campo. O avançado finalizou com classe, completando o hat-trick e fazendo coisa nunca antes vista em Old Trafford na Premier League - um rival a marcar três golos ao United na sua própria casa.

Nos camarotes, Sir Alex Ferguson abanava a cabeça e suspirava. Uma imagem paradigmática do pesadelo vivido pelo Man. United este domingo, um pesadelo que ainda não havia terminado. Porque a contagem de golos do Liverpool tinha acabado ali, mas ainda haveria um golo anulado a Cristiano Ronaldo, uma bola na trave de Cavani e a expulsão de Paul Pogba, a solução de Solskjaer ao intervalo para tentar estancar o meio-campo, que foi mais cedo para o banho após uma entrada a pés juntos sobre Naby Keita, que saiu lesionado.

Há quatro jogos que o Manchester United não vence na Premier League - é agora 7.º na tabela com 14 pontos. Já o Liverpool é 2.º, com 21 pontos, menos um que o Chelsea.