Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Futebol internacional

“Sei que o clube atravessa um momento difícil, mas sinto que estou preparado”: Xavi foi apresentado como novo treinador do Barcelona

O ex-futebolista, que assinou contrato até 2024, subiu ao relvado e, acompanhado do presidente do clube, Joan Laporta, discursou para milhares de adeptos, sentados na bancada central do Camp Nou, que o ovacionaram neste regresso, agora como treinador, ao clube

Lusa

Quality Sport Images

Partilhar

O ex-futebolista internacional espanhol Xavi Hernández advertiu esta segunda-feira que o FC Barcelona “não se pode permitir empatar ou perder”, durante a apresentação como treinador do clube catalão, perante milhares de adeptos.

Xavi, que assinou contrato até 2024, subiu ao relvado e, acompanhado do presidente do clube, Joan Laporta, discursou para milhares de adeptos, sentados na bancada central do Camp Nou, que o ovacionaram neste regresso, agora como treinador, ao clube.

“Estou muito entusiasmado, não me quero emocionar, é impressionante esta receção dos adeptos”, disse o antigo jogador, que cumpriu quase toda a carreira nos ‘culés’, clube do qual saiu, já aos 35 anos, para o Al Sadd, do Qatar.

Na cerimónia, o antigo futebolista, de 41 anos, ouviu os adeptos cantarem o seu nome e a todos acenou e enviou beijos.

“Somos o melhor clube do mundo e vamos trabalhar arduamente para termos sucesso”, disse Xavi, explicando que o clube “tem de vencer cada jogo”, não podendo ficar satisfeito com empates ou derrotas.

Numa conferência em que contou com a presença da família, o antigo internacional dirigiu-se aos adeptos também para dizer que a equipa precisa deles: “Especialmente nos maus momentos. Estamos numa situação difícil enquanto clube. Precisamos de vocês mais do que nunca”, referiu.

Xavi foi anunciado como novo treinador na sexta-feira, primeiro pelo clube que treinava, o Al Sadd, e, depois, confirmado, pelo FC Barcelona, no qual substitui o holandês Ronald Koeman, despedido face aos maus resultados.

NurPhoto

O FC Barcelona, adversário do Benfica na Liga dos Campeões, é nono classificado na Liga espanhola de futebol, a 11 pontos da líder Real Sociedad, que tem mais um jogo.

Na Champions, a equipa, que perdeu no Estádio da Luz por 3-0, é segunda classificada no grupo E, com seis pontos, atrás do Bayern Munique, já apurado para os oitavos de final, com 12, e à frente do Benfica, que tem quatro, enquanto o Dínamo Kiev tem apenas um ponto.

Numa época em que perdeu Lionel Messi para o Paris Saint-Germain, face a constrangimentos de ordem financeira, que obrigaram também a uma redução da massa salarial, o ‘Barça’ atravessa um período conturbado, com novos e jovens jogadores, e vários lesionados.

“Sei que o clube atravessa um momento difícil, mas sinto que estou preparado”, acrescentou Xavi, sublinhando que a sua chegada ao FC Barcelona “é um sonho tornado realidade”.

Já antes, o antigo jogador tinha dito, em entrevista à televisão do clube, considerar que é possível conquistar títulos.

“Há equipa e há talento, tentarei transmitir a minha experiência aos jogadores para conseguir títulos”, disse Xavi Hernández, reiterando que se sente preparado e que ‘dará a vida’ “para que funcione”.

Na apresentação, disse ainda saber que o Barça é o clube mais difícil do mundo, porque é preciso, além de ganhar, praticar bom futebol: “Vamos tentar, espero estar no grupo dos [treinadores] Pep [Guardiola], [Zinedine] Zidane e companhia, não dos outros”, sublinhou, numa alusão a ex-futebolistas que tiveram sucesso no banco.

Num contexto diferente daquele em que foi jogador no FC Barcelona, especialmente agora, sem Messi, Xavi revelou ainda que a estrela argentina, com quem ganhou tudo no clube, lhe enviou uma mensagem de boa sorte.

“Sim, claro, e todos, o Eto’o e o Ronaldinho. [O Messi] mandou-me uma mensagem e desejou-me sorte, brincámos, desejo-lhe o melhor, é o melhor jogador da história do clube, mas já não está, temos os jogadores que temos e é com eles que trabalhamos. O Leo [Messi] já não está”, assinalou.

No atual Barça, Xavi reencontra outros antigos companheiros, como Ter Stegen, Piqué, Sergi Roberto, Jordi Alba e Busquets.