Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Futebol internacional

Leonardo Jardim, o imperador da Ásia: treinador faz história ao vencer a Liga dos Campeões do continente

Os sauditas do Al-Hilal, orientados por Jardim, derrotaram (2-0) o Pohang Steelers, da Coreia do Sul, e conquistaram a mais importante prova de clubes da Ásia. Embalado por um golo de Moussa Marega, o antigo técnico de Sporting ou SC Braga tornou-se no primeiro treinador português a vencer a Champions do Oriente

Pedro Barata

FAYEZ NURELDINE/Getty

Partilhar

Ainda nem há seis meses começou a sua aventura num novo continente e já entrou para a história: Leonardo Jardim é o primeiro treinador português a vencer a Liga dos Campeões da Ásia. O Al-Hilal, equipa da Arábia Saudita orientada pelo técnico de 47 anos, venceu a final da mais importante prova de clubes do continente frente ao Pohang Steelers, da Coreia do Sul, por 2-0, levando à loucura os milhares de adeptos que encheram as bancadas do King Fahd International Stadium, em Riade.

Num duelo entre os dois clubes com mais títulos na história do torneio, ambos com três, Jardim levou o Al-Hilal a um quarto triunfo que coloca os sauditas como máximos vencedores em solitário da competição. A equipa da capital saudita recupera o estatuto que havia conquistado pela última vez em 2019 e sucede ao Ulsan Hyundai, da Coreia do Sul.

Com um estádio cheio de adeptos sauditas e a presença de Gianni Infantino nas bancadas, o Al-Hilal, com o ex-Sporting Matheus Pereira e o ex-FC Porto Moussa Marega no onze, demorou muito pouco para chegar ao 1-0. Mais concretamente, 16 segundos, o tempo que Nasser Aldawsari tardou até disparar um fantástico tiro de pé esquerdo e colocar os homens de Leonardo Jardim em vantagem.

Na segunda parte, o Al-Hilal pareceu sempre ter o duelo controlado e aos 63' fixou o resultado final. O internacional francês Bafétembi Gomis assistiu Marega que, com o seu estilo fisicamente impetuoso, penetrou pela direita da área e rematou cruzado para o 2-0.

-

Até final, os adeptos do Al-Hilal deram espectáculo nas bancadas com os seus cânticos, lanternas dos telemóveis ligadas e colorindo o estádio de azul. Na linha lateral, um português de camisa branca ia dando indicações até ao epílogo da final, à medida que ia marcando encontro com a história.

Antigo treinador de Beira-Mar, Desportivo de Chaves, Sporting de Braga ou Sporting, bem como campeão francês com o Mónaco, Leonardo Jardim assumiu o comando do Al-Hilal em junho e, desde aí, tem vivido dias felizes na Arábia Saudita.

Até ao momento invencível na sua primeira experiência fora do futebol europeu, Jardim soma nove vitórias e quatro empates em 13 partidas disputadas entre campeonato e Champions. Na prova continental, bateu nos oitavos-de-final os iranianos do Esteghlal, na ronda seguinte os também iranianos do Perspepolis e, nas meias-finais, o Al-Nassr, num embate saudita.

Depois de Artur Jorge e José Mourinho se sagrarem campeões europeus (e Villas-Boas ter orientado o Chelsea durante parte da temporada 2011/12), de Manuel José ter conquistado o futebol africano por quatro vezes e de Abel e Jorge Jesus terem erguido a Libertadores na América do Sul, há um novo campeão continental português.

É Leonardo Jardim, o imperador da Ásia.