Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Noite de festas no Dragão: de Natal, da Taça e do futebol

Num jogo muito animado, o FC Porto derrotou o Moreirense, por 4-3, e passou aos quartos de final da Taça de Portugal

Tribuna Expresso

BULENT KILIC

Partilhar

"Festas felizes, dragões". Para quem via o jogo no estádio, o vídeo passou nos ecrãs gigantes; para quem via o jogo em casa, o vídeo passou na SportTV: o FC Porto fez um belíssimo vídeo a celebrar o Natal e a festividade não podia casar melhor com que o que se viu, esta terça-feira, entre FC Porto e Moreirense.

Não só uma festa natalícia e da Taça de Portugal, mas do futebol, num bom jogo entre duas equipas sempre preocupadas em procurar a vitória.

É certo que estes ainda eram os oitavos de final da Taça, pelo que Sérgio Conceição aproveitou para rodar a equipa (cinco novidades em relação ao jogo com o Santa Clara, para a Liga: Fabiano, Maxi, Otávio, Adrián e André Pereira juntaram-se a Felipe, Éder Militão, Alex Telles, Danilo, Herrera e Marega), mas o adversário que os portistas tinham pela frente inspirava cautela: o Moreirense de Ivo Vieira tem feito um belo campeonato, ocupando atualmente a 8ª posição, com os mesmos 19 pontos do 6º e do 7º classificados, o Belenenses SAD e o Rio Ave, respetivamente.

O aviso foi dado logo de início: aos oito minutos, depois de uma perda de bola de Maxi, o Moreirense saiu rápido para o contra ataque, numa jogada conduzida por Pedro Nuno, que viu Heriberto solto pela esquerda do ataque. Heriberto aproveitou a falta de defesas portistas na área para endereçar a bola para David Texeira, que só teve de encostar para o 1-0.

O início de jogo do FC Porto era para esquecer e pior ainda ficou no minuto seguinte, quando Otávio teve de sair lesionado, por troca com o Hernâni. Mas, afinal, a troca até acabou por ser feliz: logo depois, num canto, Telles põe a bola na cabeça de Felipe, que faz o 1-1, e, a seguir, numa das primeiras ações que tem em jogo, Hernâni lança Adrián pela esquerda e vai à área receber a assistência do colega para, de primeira, fazer o 2-1.

Com um grande pontapé, estava feita a reviravolta e o jogo estava animado no Dragão: num canto do outro lado do campo, Fabiano saiu mal à bola e Pedro Nuno quase empatou, num lance confuso. Igualmente confuso foi o lance em que Marega teve o 3-1 nos pés: Ivanildo escorregou na relva e deixou passar a bola para os pés do avançado portista que, isolado, permitiu a defesa de Trigueira.

As oportunidades sucediam-se, agora em bolas paradas: do lado do FC Porto, as cabeças de Danilo e Filipe estiveram perto do golo, mas foi mesmo a cabeça de Iago a marcar, após um livre batido por Bruno.

Com um 2-2 ao intervalo, Ivo Vieira quis mais: tirou Ângelo Neto e Pedro Nuno e colocou em campo Chiquinho e Halliche, passando a atuar apenas com três centrais, num 3-4-3.

Ainda assim, a primeira grande oportunidade foi portista, em contra ataque: Hernâni deu o golo a Marega, mas, novamente em frente de Trigueira, o avançado permitiu a (grande) defesa do guarda-redes do Moreirense.

O FC Porto carregava agora no acelerador, já com a arma secreta em campo: Yacine Brahimi. O extremo virou completamente o jogo e, aos 66', isolou Marega... e o avançado finalmente marcou na cara de Trigueira. Tal e qual como fez aos 89', mas, aí, com um toque de classe: um chapéu perfeito.

O jogo já parecia mais do que fechado, mas o Moreirense continuou sempre a querer mais: de fora da área, Heriberto rematou de forma perfeita para o 4-3. Já nos descontos, o impossível até pareceu possível: Texeira cabeceou para golo... mas Fabiano salvou o 4-4. E o FC Porto passou aos quartos de final da Taça de Portugal, numa bela festa de futebol.