Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Um jogo de estreias para mais tarde recordar

No primeiro jogo de Bruno Lage, o Benfica começou a perder, 0-2, na Luz, mas conseguiu dar a volta, graças a dois bis dos dois homens lá da frente: Seferovic e João Félix

Tribuna Expresso

NurPhoto

Partilhar

Ano novo, muitas vidas novas. Primeiro, no Rio Ave: com a saída surpreendente de José Gomes para o Reading, Daniel Ramos voltou aos bancos, apenas um mês depois de ter rescindido com o Chaves. Depois, no Benfica: com a saída pouco surpreendente de Rui Vitória - mais tarde ou mais cedo, era o que se esperava que acontecesse, ainda que Luís Filipe Vieira o tivesse segurado anteriormente devido a uma "luz" -, Bruno Lage subiu da B para A e estreou-se na Luz e na Liga portuguesa.

Mas essas não foram as únicas novidades esta noite. As outras foram apresentadas pelos próprios treinadores: do lado de Daniel Ramos, a escolha foi para um 4-4-2, com Carlos Vinicius e Bruno Moreira na frente; do lado de Bruno Lage, o mesmo - o miúdo João Félix foi titular e, ao contrário do que acontecia com Rui Vitória, não jogou encostado à linha, mas solto pelo corredor central, sendo o segundo avançado num 4-4-2.

Ou seja, lá na frente, a dupla ofensiva foi constituída foi João Félix e e Seferovic (Jonas estava castigado, por ter sido expulso no jogo anterior), e a ideia não podia ter corrido melhor: ambos bisaram na partida.

Mas, antes disso, chegou a haver assobios na Luz. É que, apesar de uma entrada positiva no jogo, especialmente em termos ofensivos - o Benfica pareceu ter mais paciência a construir e a querer dominar a bola -, os primeiros golos foram para o Rio Ave, que aproveitou com extrema eficácia alguma desatenção defensiva dos anfitriões. E de rajada.

Aos 17', após uma bela jogada de Vinicius, Galeno cruza para Gabrielzinho finalizar na pequena área; aos 20', Matheus Reis sobe pela esquerda, cruza e encontra Bruno Moreira na área para finalizar.

Gualter Fatia

Em três minutos, 2-0 para os visitantes e o cenário parecia negro na Luz. Contudo, o Benfica conseguiu, a partir daí, reerguer-se e voltar a pegar no jogo. Aos 27', numa belíssima jogada de ataque, Grimaldo cruza rasteiro para a área, para João Félix, que simula um toque na bola e deixa-a passar para Seferovic, que ultrapassa Nélson Monte e faz o 2-1.

Quatro minutos depois, empate e novamente com protagonismo para a dupla avançada: Seferovic trabalha o lance na área e oferece o golo a João Félix.

Gualter Fatia

O jogo ia empatado para o intervalo e a verdade é que, na 2ª parte, dificilmente se poderia prever um vencedor, dado o equilíbrio na partida. Mas, nos segundos 45 minutos, houve mais Benfica, especialmente no que diz respeito à eficácia, até porque o Rio Ave voltou a ter oportunidades, mas, desta vez, não marcou.

Logo nos primeiros minutos, Grimaldo, num lance "à Messi", ultrapassou vários jogadores adversários na área e enviou uma bola ao poste. Do outro lado, Galeno, também num lance individual, rematou para defesa de Odysseas.

A partir do banco, Bruno Lage mexeu ao tirar Cervi e colocar em campo Zivkovic e o extremo respondeu imediatamente: cruzou para a área e encontrou João Félix, que fez o 3-2.

A reviravolta para o Benfica estava completa, mas o Rio Ave continuava a criar perigo junto da baliza de Odysseas, com Bruno Moreira a testar o guarda-redes. Só que o jogo ficaria fechado aos 70', quando, numa transição rápida, Pizzi isolou Seferovic e o suíço marcou o 4-2.

Depois de uma entrada complicada, o Benfica terminava o jogo de forma tranquila e dava a primeira vitória a Bruno Lage, o novo treinador da equipa - resta saber até quando.

  • Para conhecer melhor Bruno Lage, é ler quem melhor conhece Bruno Lage

    Opinião

    Chama-se Bruno Lage, liderava a equipa B desde o início da época e é agora, pelo menos temporariamente, o novo treinador do Benfica. Aos 42 anos, Lage regressou a uma casa que conhece bem, já que foi treinador dos iniciados, dos juvenis e dos juniores antes de aceitar coordenar a formação do Al Ahli, dos Emirados Árabes Unidos, em 2012/13, e de se tornar adjunto de Carlos Carvalhal, no Sheffield Wednesday, em 2015/16. Esta época, Lage voltou a Portugal e o treinador Blessing Lumueno explica quais são as ideias de jogo essenciais para o novo líder do Benfica