Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Os ensinamentos de Mourinho: “Nós, treinadores, somos o cano de esgoto. Esta geração, de copinho de leite, não aceita bem a crítica”

José Mourinho esteve esta segunda-feira no Fórum do Treinador, em Portimão, e abordou uma série de assuntos relacionados com a profissão, adiantando também que na próxima pré-época já espera estar a trabalhar novamente

Tribuna Expresso

Shaun Botterill

Partilhar

O que José Mourinho disse, no Fórum organizado pela Associação Nacional de Treinadores de Futebol, em discurso direto:

O Sporting-Benfica de quarta-feira para a Taça de Portugal

"É o jogo da época para o Sporing e não é o jogo da época para o Benfica. O Benfica tem coisas maiores que pode ganhar, pode ganhar a Liga Europa e o campeonato, e o Sporting se não ganhar a Taça não ganha nada. Veremos se o Benfica conseguirá equiparar o Sporting em motivação.

Acompanho o futebol português, mas não as touradas; e não estou a falar de tauromaquia".

O desemprego

"As pessoas preocupam-se mais do que eu. Decidi não treinar até ao início da próxima época e mesmo assim, para voltar no início da próxima época terá de ser num clube e competição que me motive. Não estou em sofrimento. Gostava de voltar na próxima pré-época, porém".

O sonho da seleção nacional

"Gostava de treinar a seleção. Mas o Fernando que não se preocupe, não estou interessado em fazê-lo agora nem nos próximos tempos - e aliás somos bons amigos. Gostava de fazê-lo antes de acabar a carreira. Mas como falta tanto para acabar... E vamos ver se a oportunidade chegará".

As novas gerações

"Antes os treinadores tinham de lidar com 20 jogadores, agora cada jogador tem 10 pessoas à volta e há agentes e a forma como dominam a informação e a contrainformação. Nós, treinadores, somos o cano de esgoto, os culpados de tudo, gerindo o principal de empresas que valem milhões e milhões.

A comunicação é ainda mais importante do que era. Eu tenho filhos da idade de jogadores e esta geração, de copinho de leite, que não aceita bem a crítica, não é uma coisa nova para nós, porque a temos em casa. Se o meu pai me mandasse comprar tabaco eu só perguntava se podia ficar com o troco e se eu pedir ao meu filho para me passar um copo de água ele pergunta-me porquê.

São gerações. Mas tem de haver noção das hierarquias, de quem é quem. Hoje, no futebol, tudo tem de ser mais personalizado".

O FC Porto-Liverpool da Champions

"O FC Porto tem hipóteses de vencer e seguir em frente. Comparando com a época passada, penso que o Sérgio Conceição vai fazer perguntas a ele mesmo sobre o que se passou de forma a fazer algo diferente desta vez. A eliminatória está em aberto e o que se passou o ano passado, acredito, pode jogar a favor do FC Porto nos dois jogos".

Os direitos televisivos em Portugal

"Os grandes clubes não vão gostar do que vou dizer, mas não devo nada a ninguém: somos o único, ou um dos únicos países considerados no futebol europeu que não têm os direitos televisivos centralizados e isso faz com que as diferenças entre grandes e pequenos se acentuem mais. Se uns recebem 80 e outros 4... Em Portugal muitos treinadores de clubes pequenos fazem trabalho fantástico que ainda permite viver a competição com alguma emoção.

Agora, a equipa que recebe menos em Inglaterra recebe mais do que 80% de todas as equipas dos outros campeonatos... É um mundo à parte, com valores de mercado gigantescos, em termos de investimento. Tive um colega de profissão que há dois ou três anos chegou e não gostava dos laterais e gastou €200 milhões a mudar os quatro laterais".

O jogo jogado e as "mentes brilhantes" do International Board

"Com os sistemas defensivos cada vez mais bem montados diria que a cada modelo de jogo cada vez mais terão de corresponder diferentes sistemas táticos, principalmente nas fases de construção. Ou seja, num mesmo jogo vai ser cada vez mais necessário mudar de sistema tático para surpreender os adversários. Note-se como tudo vai mudando e, se me permite afetar o protocolo, porque não vem no programa deste Fórum, gostava de lançar um trabalho de casa para todos e até para mim: pensar nas implicações que terá a nova regra, já aprovada pelas mentes brilhantes do International Board, que diz que no pontapé de baliza a bola já não tem de sair da área, o que poderá permitir ao adversário pressionar dentro da própria área. Muita gente vai abdicar da fase de construção e apostar no jogo direto. Terá implicações profundas e que tenho visto pouco debatidas."

João Félix e Bruno Fernandes vs Cristiano Ronaldo: comparações "ridículas"

"É ridículo comparar Bruno Fernandes e João Félix a Cristiano Ronaldo. Por mais talento que tenham. Mas são dois grandes jogadores com enorme talento e poderão chegar a grandes clubes".