Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

“O Doumbia podia ter partido a perna ao Luquinhas e o VAR deixou passar isso em claro. Devia ter ido para a rua”

Augusto Inácio, treinador do Desportivo das Aves, elogia a humildade do Sporting, mas deixa crítica ao árbitro Soares Dias

Tribuna Expresso

Amr Dalsh

Partilhar

O mérito

O Sporting tem mérito principalmente na segunda parte, que recuou as linhas. O Aves fez uma boa segunda-parte, circulou a bola, tentou cruzamentos, tentou rematar, tentou o golo. O Sporting estava em vantagem no marcador, em desvantagem numérica no número de jogadores, foi humilde e soube conquistar o terceiro golo. Parece-me ter tido só dois remates perigosos na segunda-parte e acabou por fazer o terceiro golo, a eficácia também esteve presente, e o Sporting acaba por ganhar o jogo. Mas o jogo também tem as suas histórias.

O árbitro

“É evidente que dou os parabéns ao Sporting, que foi o vencedor, mas não posso deixar passar em claro o lance do Doumbia sobre o Luquinhas. Não tem de haver problemas se se tiver que expulsar dois ou três jogadores, seja da minha equipa, seja da equipa do adversário... O Doumbia devia, claramente, ter ido para a rua, e só não entendo porque é que o VAR não chama a atenção desses lances, que são perigosos. O Doumbia podia ter partido a perna ao Luquinhas, e o VAR deixou passar isso em claro. É isso que eu lamento. De resto, o jogo foi um jogo emotivo, foi um jogo jogado, há quase total domínio do Aves na segunda-parte. Não tivemos capacidade para fazer golos, o Sporting fez um terceiro, ganhou, parabéns ao Sporting”.

A luta

“Eu acredito que sim, com 36 pontos pode dar aquela folga. Não esperamos pela última jornada para decidir as coisas, mas acho que a segunda volta do Aves tem sido brilhante. Hoje tive que mudar um bocadinho a estratégia porque o Mamadu Baldé é jogador emprestado do Sporting e não podia jogar, e eu só tinha um menino de 20 anos para jogar no lado direito e sabia que ele não ia aguentar os 90 minutos. Por isso é que tive de mudar a estratégia. Depois, entrou mais um ponta de lança, depois entrou o Ruben com 21 anos, esta é a realidade do Aves.. Quando se perde, quando os jogadores dão tudo em campo, eu não posso criticar os jogadores; tenho é que dar moral, motivá-los para o próximo jogo porque acho que estamos a fazer um campeonato brilhante na segunda volta. Fizemos já 18 pontos, não chega, mas acho que estamos a fazer uma grande segunda volta”.