Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Fábio Paim em prisão preventiva por suspeitas de tráfico de droga

O prometido craque que nunca o foi terá sido detido, na quinta-feira, por suspeitas de tráfico de droga. Fábio Paím estará já detido, preventivamente, no Estabelecimento Prisional de Caxias, em Oeiras. Aos 31 anos, volta a ser notícia sem ser pelo futebol

Diogo Pombo

Jose Carlos Carvalho

Partilhar

Quem acompanha o mundo da futebol sabe, nem que seja por alto, quem Fábio Paím é. Ou, talvez, quem ele deveria ser, muito por culpa de coisas como a que Cristiano Ronaldo se diz ter dito quando chegou ao Manchester United - "Se acham que sou bom, então esperem até ver o Paím", algo assim nestes moldes.

Cristiano deveria vê-lo a jogar variadíssimas vezes, mais do que as ocasiões em que o viu fora de um campo, sem uma bola para tocar com os pés que lhe ocupasse a cabeça. A que levou Paím a comportar-se de forma a que o talento, depois de sair do Sporting e de uma breve última tentativa nas reservas do Chelsea, apenas lhe valesse para ir a sítios pouco convincentes.

Fábio Paím: “Se fizermos um calculo por alto, gastei talvez uns dois milhões ou mais. Nem eu sei, é muito dinheiro”

<em>No dia em que há novidades na vida de Paím - está em prisão preventiva por suspeitas de tráfico de droga - republicamos a sua entrevista de vida</em>. É tido como a eterna promessa do futebol português. Quem o viu nas escolas do Sporting, onde entrou com sete anos, ficou maravilhado com o talento. Aurélio Pereira, especialista em formação, dizia dele: “Falam do Cristiano Ronaldo? Atenção que o Fábio Paím é muito melhor. É outra coisa”

Tentou jogar em Angola, no Qatar, na China, em Malta, na Lituânia, no Luxemburgo e no Brasil, sempre em clubes menores, que existem mais do que ganham. A última vez que se ouvira falar no eterno e prometido craque, dono de menos talento que ninguém, estava no Flamengo de Guanabi, na última divisão do estado do Rio de Janeiro, no Brasil.

Agora, com 31 anos, está preventivamente detido no Estabelecimento Prisional de Caxias, em Oeiras, simbolicamente ao lado da sede da Federação Portuguesa de Futebol. O jogador, escreve o "MaisFutebol", terá sido detido, na quinta-feira, por suspeitas de tráfico de drogas e apresentado a um juiz no dia seguinte, que lhe aplicou esta medida de coação.

De Paím já sabíamos que chegou a ser acusado, por duas vezes, de violação, queixas que seriam retiradas. Por admissão dele também sabíamos da reincidência em episódios menos bons, vindos de más companhias e de uma cabeça que nunca deixou o talento para o futebol praticar o que a teoria reconhecia nos olhos de toda a gente.