Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Na na na na na na na na Bruno Fernandes

À 2ª jornada da Liga 2019/20, o Sporting voltou à vitórias, perante o Sporting de Braga (2-1), num belo jogo de futebol, com golos de Wendel e, claro, do goleador Bruno Fernandes

Tribuna Expresso

NurPhoto

Partilhar

É um tema que não tem resposta fácil: Bas Dost fará ou não falta ao Sporting? A acreditar somente nos números, a resposta é claramente... sim: 36 golos em 2016/17, 34 golos em 2017/18, 23 golos em 2018/19. Só que, olhando para a forma como o avançado holandês de 30 anos se ia relacionado com o modo como joga atualmente o Sporting de Marcel Keizer - como pode ler melhor AQUI -, a resposta é, afinal... não.

Bas Dost é - ou melhor, era - mais problema do que solução no Sporting

Apesar dos golos marcados no Sporting, as características do ponta-de-lança holandês fazem com que o mesmo só renda em contextos muito específicos e limite demasiado as opções ofensivas da equipa

Ou seja, entre o sim e o não, o melhor mesmo é acreditar em... Bruno Fernandes. O internacional português não é avançado, mas mesmo como médio é ele que mais marca no Sporting nos últimos tempos: em 2018/19 conseguiu a incrível marca de 32 golos, depois de ter marcado 16 na época anterior, e, esta época, depois de ter sido essencial na produção ofensiva em todos os jogos da equipa na pré-época, voltou aos golos esta noite, em Alvalade, quando o Sporting mais precisava.

Como era esperado, o avançado da equipa de Marcel Keizer foi Luiz Phellype - tal como aconteceu frente ao Marítimo -, mas a opção que fez a diferença no ataque foi a inclusão de Diaby como extremo esquerdo, ficando Acuña a lateral (e Borja no banco).

Mais do que um extremo puro, Diaby foi aquilo que se foi vendo que Marcel Keizer queria que Vietto fosse na pré-época (será que não poderia sê-lo agora?): um falso extremo, que surge mais vezes no corredor central do que propriamente na lateral, deixando esse espaço da largura para as investidas de Acuña.

Esse posicionamento criou vários desequilíbrios na estrutura defensiva bracarense - hoje sem Paulinho, Caju, Palhinha, João Novais e Murilo, mas com Sequeira, Claudemir, Fransérgio, Ricardo Horta e Hassan - e o Sporting impõs-se de forma clara no jogo logo a partir dos primeiros minutos, com Coates, na sequência de um canto, a ser o primeiro a ter o golo nos pés - Matheus e Bruno Viana afastaram o primeiro e o segundo remates.

Ainda assim, não demoraria muito para o golo surgir: depois de um cruzamento de Raphinha pela direita, a bola vai parar aos pés de Luiz Phellype, na área, e o avançado entrega rapidamente em Wendel, que recebe e remata - com a biqueira - para o primeiro golo do jogo.

O 1-0 premiava a entrada forte do Sporting mas também acordava o adversário. Ainda que com bem menos bola, o Braga foi subindo as linhas e chegando mais perto da baliza de Renan, e foi mesmo o guardiã brasileiro a evitar o empate num trio de ocasiões protagonizado por Fransérgio, Pablo e Hassan.

Numa altura em que até era o Braga a estar por cima do jogo, já em cima do intervalo, foi o homem do costume a aparecer para resolver - antes também já tinha estado a centímetros do golo, mas Matheus desviou a bola.

NurPhoto

O Braga procurava construir desde trás, com a bola nos pés de Claudemir, mas o médio bracarense não reparou na pressão astuta de Bruno Fernandes, que lhe roubou a bola, foi por ali fora, fintou Bruno Viana com uma bela simulação de remate e, por fim, rematou mesmo para o 2-0.

Ao intervalo, o Sporting estava claramente melhor do que os bracarenses, mas, à entrada para a 2ª parte, a história inverteu-se. O Sporting de Braga de Sá Pinto reagiu e tomou conta do jogo, com Wilson Eduardo e Ricardo Horta a falharem oportunidades claras.

Demorou, mas a bola acabou mesmo por entrar: Ricardo Horta rematou ao poste e, na recarga, Wilson Eduardo reduziu para 2-1.

O Braga galvanizava-se, mas, do outro lado do campo, havia - claro está - Bruno Fernandes a criar problemas a Matheus - o guardião bracarense também esteve muito seguro.

Nos últimos minutos do jogo, Sá Pinto lançou Paulinho e Galeno, por troca com Wilson e Fransérgio, e Marcel Keizer respondeu com Neto, Vietto e Eduardo, por troca com Diaby (Acuña subiu para extremo), Luiz e Wendel.

O Braga ainda empurrou o anfitrião para trás, mas o golo do empate nunca surgiu. E o Sporting dá, para já, um pontapé na "crise" - com ajuda preciosa de Bruno Fernandes, claro. Ele sim, insubstituível neste Sporting.

Bola no peito e um pontapé acrobático: Davidson marca o golo da jornada

O Vitória de Guimarães foi superior ao Boavista, na 2ª jornada da Liga 2019/20, mas acabou por permitir o empate, já nos descontos da partida (1-1). Antes, na 1ª parte, Davidson tinha marcado aquele que muito provavelmente será o golo da jornada, com um pontapé acrobático certeiro