Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Ivo Vieira: "É este o caminho e vamos continuar a lutar. Por vezes, o maior erro é querer as coisas para o dia de ontem"

O treinador do Vitória disse, após a derrota (0-1) contra o Benfica, que o resultado se deveu à felicidade e eficácia do adversário, elogiando o trabalho dos seus jogadores e explicando que "com esta consistência e crescimento, seja com o Ivo Vieira ou com outro treinador qualquer, em dois ou três anos podemos ter o Vitória a lutar pelos primeiros lugares"

Tribuna Expresso

JOSÉ COELHO/Lusa

Partilhar

A diferença esteve na eficácia?

"O que fez a diferença, nitidamente, foi o golo que o Benfica obteve. Foi praticamente a única ocasião de golo que o Benfica teve. Mesmo assim, estávamos em superioridade na área, mas não encurtámos o espaço para que o portador da bola tivesse executado e culminado em golo. Cometemos esse erro, mas a equipa deu uma resposta muito boa, não só em termos de posse, como em termos de volume ofensivo contra uma equipa muito boa.

É de salutar o comportamento dos meus atletas, foi de bom nível, trabalhámos e não há nada a apontar quando assim é. O Benfica foi mais feliz, porque foi mais eficaz. Tivemos uma casa muito bem composta, acima dos 27 mil espetadores, queríamos ter dado um resultado diferente, não conseguimos, mas acho que devemos estar orgulhosos. Temos que melhorar a tomada de decisão no último terço, foi aí que teve a diferença, poderia ter havido mais golos, mas ficou 0-1 para o Benfica pela eficácia que teve no jogo."

Não houve assim tantas oportunidades de golo

"São duas equipas que gostam de ter bola e, quando não a têm, são organizadas para evitar que a outra chegue à baliza. Lembro-me, na primeira parte, que tivemos duas ou três situações que podíamos ter definido melhor. O Benfica teve a do golo e mais um ou outro envolvimento ofensivo, houve equilíbrio na disputa dos lances, nas oportunidades e na criação de algumas situações no último terço, mas o Benfica teve a felicidade do jogo, porque trabalhou para isso.

Não é fácil tomar as melhores decisões no último terço contra o Benfica. Conseguimos conquistar, na segunda parte, dois ou três cantos, não conseguimos fazer golo porque o Benfica é muito forte no jogo aéreo. Tivemos outros dois ou três envolvimentos ofensivos. A equipa esteve a um nível muito bom na qualidade de jogo, a jogar de igual para igual, não ter receios e a olhar na cara do Benfica. É assim que defendo que estes jogadores podem crescer e ser mais fortes. É este o caminho e vamos continuar a lutar."

O que falta para ganhar pontos aos grandes?

"Quando somos gananciosos, queremos as coisas no imediato. Temos a equipa em crescimento, o Vitória é um clube grande e, se quer chegar mais à frente e lutar pelos primeiros lugares, tem que crescer, ter sustentabilidade e o apoio que tivemos hoje aqui. Com essa consistência e crescimento, seja com o Ivo Vieira ou com outro treinador qualquer, em dois ou três anos podemos ter o Vitória a lutar pelos primeiros lugares.

Mas é preciso dar espaço para os jogadores crescerem. Por vezes, o maior erro é querer as coisas para o dia de ontem. Há muitos jogadores que nunca tinham jogado aqui, no futebol português. Isso não me serve de conforto, nem pouco, mais ou menos. Temos que tirar frutos no futuro, mas sendo consistentes, equilibrados e dar espaço de manobra a estes jogadores. Em termos de qualidade, conseguem discutir os jogos com os grandes, mas, em termos de orçamento e valia dos jogadores, é por isso que são chamados grandes.

Nós procuramos ser grandes, dessa dimensão, nos resultados, e não só na massa associativa e no apoio que temos."