Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Manta Santos: "Se, com 11, era difícil, com 10 tornou-se mais difícil e, com nove, ainda mais"

O treinador do Desportivo das Aves explicou, após a derrota (2-0) com o Sporting, num jogo em que sofreu duas expulsões, que a partir daí foi "apelar ao espírito de sacrifício, capacidade de superação, união, fechar espaços e tentar retardar ao máximo o golo"

Tribuna Expresso

NurPhoto

Partilhar

As duas expulsões na primeira parte

"Se, com 11, era difícil, com 10 tornou-se mais difícil e, com nove, ainda mais. Pensei que a equipa, em termos de organização defensiva e transição ofensiva, sabia que íamos dificultar ao máximo o trabalho do Sporting. Mas, fiquei sem ataque organizado e, depois, foi apelar ao espírito de sacrifício, capacidade de superação, união, fechar espaços e tentar retardar ao máximo o golo do Sporting. Aí, o Aves esteve bem."

Preparação do caiu por terra?

"Ficar a jogar com menos um até se preparar, mas, com menos dois, normalmente os treinadores não preparam isso. Consegues continuar a jogar em termos defensivos, mas, em momentos de transição, torna-se muito mais complicado."

Acredita na manutenção?

"Continuo a acreditar porque faltam 30 pontos e, se os critérios forem iguais para outros, continuamos na luta em todos os jogos. O Aves vai lutar até ao fim, com dedicação e humildade que caracterizam esta equipa."