Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Sindicato dos Jogadores diz que recurso ao 'lay-off' por parte dos clubes é "escandaloso" e "oportunista". E atira-se às operadoras

Sindicato liderado por Joaquim Evangelista acusa os clubes de "exigir fundos que deveriam estar disponíveis, de forma imediata, para os portugueses e respetivos setores de atividade em risco de colapso" e as operadoras que detêm os direitos de "abandonarem" o futebol na altura em que mais precisa de ajuda

Lídia Paralta Gomes

NurPhoto

Partilhar

O Sindicato dos Jogadores insurgiu-se esta segunda-feira conta os clube portugueses que pensam ou já avançaram para o lay-off de jogadores, como é o caso do Belenenses SAD, que no domingo informou os jogadores de que iria recorrer a este expediente. O sindicato dirigido por Joaquim Evangelista faz ainda um forte ataque às operadoras, que acusa de terem "abandonado" os clubes "no momento de maior necessidade".

"É escandaloso que alguns clubes procurem recorrer aos apoios estatais desta forma, passando para a sociedade portuguesa a mensagem de que, em tempos de crise, não só não conseguem resolver os problemas que os afetam, como ainda vão exigir fundos que deveriam estar disponíveis, de forma imediata, para os portugueses e respetivos setores de atividade em risco de colapso", diz o comunicado do Sindicato dos Jogadores.

"Temos mantido nas últimas semanas um diálogo permanente com a Liga, no sentido de encontrar uma solução de compromisso que salvaguarde os direitos dos jogadores e garanta a sustentabilidade financeira do setor", pode ler-se ainda na nota, que critíca os clubes que "à revelia desta negociação colectiva decidiram, unilateralmente, avançar para o lay-off".

O Sindicato dos Jogadores deixa ainda uma mensagem muito crítica que tem como destinatário as operadoras que detêm os direitos televisivos dos clubes portugueses, receitas essenciais para a sobrevivência de muitos clubes.

"Não se compreende que os clubes sejam rápidos a exigir cortes a jogadores e funcionários e não se incomodem com a atitude das operadoras, que beneficiam escandalosamente deste negócio há anos e no momento de maior necessidade nos abandonaram".

"Aliás, a notificação que as operadoras enviaram aos clubes, sem apelo nem agravo, das duas uma, ou é atentatória e merecia uma resposta conjunta de todos os clubes, ou é conveniente, na medida em que permite justificar muitos comportamentos irresponsáveis", diz ainda o comunicado, em que o Sindicato dos Jogadores garante que "reagirá a esta actuação dos clubes e não deixará de convocar todas as entidades públicas e órgãos de governo do futebol, para necessidade de pôr termos a uma actuação que lesa os jogadores, mas sobretudo os contribuintes e o país".

Belenenses SAD entra "parcialmente em lay-off"

É o primeiro clube da I Liga a anunciar que vai recorrer ao expediente