Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Futebol nacional

As três fases da retoma no futebol: testes, máscaras, treinos individuais, viagens em carro próprio. E não há saunas nem banhos turcos

Liga Portugal já apresentou manual de instruções ao Governo, a que o Expresso teve acesso. Data do retorno da atividade deverá acontecer só após o levantamento do estado de emergência. Testes à covid-19, registo de temperatura, máscaras em viagens e chuteiras com GPS são algumas regras do pós-confinamento. O guião está feito, mas a DGS pode mudar as regras a qualquer momento

Isabel Paulo

Gualter Fatia

Partilhar

O documento estratégico para a retorno do futebol está a ser avaliado pelo Governo e especialistas da área da saúde, mas João Paulo Rebelo, secretário de Estado da Juventude e Desporto, não arrisca ainda uma data para o regresso das equipas aos treinos ou jogos.

“A minha convicção é que só após o fim do estado de emergência haverá um calendário definido”, afirma ao Expresso o governante, que defende que o desporto não pode ser deixado para trás na reabertura pós-confinamento, mas sem descurar a proteção de atletas e famílias.

O Plano de Ação concertado com a DGS para a retoma apresentado ao Governo pela Liga foi elaborado pelos médicos das SAD's da Liga NOS e ProLiga e após consulta a especialistas da área da infecciologia, pneumologia, medicina interna e de saúde pública, que advertem que o guião sugerido pode ser “alterado em função das diretrizes das autoridades de saúde nacionais e internacionais”.
Assim, após um mês e meio de treinos em casa e corridas a solo ao ar livre, a Liga propõe que antes do retorno à competição os jogadores cumpram três fases de adaptação para garantir que são capazes de jogar 90 minutos “na melhor condição física, com o menor risco de lesões e maior performance desportiva”.

Artigo Exclusivo para assinantes

No Expresso valorizamos o jornalismo livre e independente

Já é assinante?
Comprou o Expresso? Insira o código presente na Revista E para continuar a ler