Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

O líder do campeonato também volta aos treinos na segunda-feira

O FC Porto informou, este sábado, que o plantel regressa ao trabalho a 4 de maio, seguindo a tendência que, aos poucos, tem vindo a ser anunciada por todos os clubes da Liga NOS, desde que o Governo revelou que o campeonato poderá ser retomado no fim de semana de 30 e 31 de maio

Lusa

Quality Sport Images/Getty

Partilhar

O plantel do FC Porto vai retomar os treinos no relvado a partir de segunda-feira, após quase dois meses de interregno, devido à pandemia de covid-19, informou, este sábado, o líder da I Liga portuguesa de futebol.

"Perante a possibilidade de a I Liga ser retomada no último fim de semana de maio, o FC Porto regressa ao trabalho de relvado a partir da próxima segunda-feira, no Olival", refere a newsletter diária do clube portuense.

A I Liga, liderada pelo FC Porto com um ponto de vantagem sobre o campeão Benfica, que foi suspensa em 12 de março, após 24 jornadas, vai voltar a disputar-se a partir de 30 e 31 de maio, assim como a final da Taça de Portugal, entre dragões e águias.

O anúncio foi feito na quinta-feira pelo primeiro-ministro, António Costa, que, ainda assim, revelou que a retoma do campeonato está sujeita a aprovação de um plano sanitário por parte da Direção-Geral da Saúde (DGS).

António Costa explicou que o reinício da I Liga, na qual faltam disputar 10 jornadas, bem como a realização da final da Taça de Portugal, entre Benfica e FC Porto, será feita "sem público presencial dentro dos estádios".

Portugal juntou-se a Alemanha, Inglaterra, Espanha e Itália entre os países que ensaiam o regresso dos campeonatos nacionais, ao contrário do ocorrido em França e nos Países Baixos, que cancelaram as competições.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 235 mil mortos e infetou mais de 3,3 milhões de pessoas em 195 países e territórios. Mais de um milhão de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.007 pessoas das 25.351 confirmadas como infetadas, e há 1.647 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.