Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Paulo Sérgio: "O futebol sem público nas bancadas é estranhíssimo, parece que estamos a disputar um jogo de pré-época"

Treinador do Portimonense sublinhou a importância da vitória frente ao Gil Vicente para dar confiança a uma equipa que está ainda em zona perigosa. Sobre os novos tempos que vivemos, Paulo Sérgio lamentou o ambiente de um estádio sem adeptos

Tribuna Expresso

Quality Sport Images/Getty

Partilhar

As estratégias

“Foram duas equipas que apresentaram estratégias diferentes na partida. O Portimonense a controlar e a comandar, penso, na maior parte do tempo, e o Gil Vicente sempre perigoso a tentar meter velocidade na frente, a jogar nas nossas costas. O objetivo era não cometer erros”

Vitória importante

“Quero dar os parabéns aos jogadores pela grande entreajuda e entrega. Tivemos uma mão cheia de coisas bem feitas para concretizar. Tendo em conta a nossa classificação, nunca estamos seguros, mesmo a ganhar por 1-0. Foi uma equipa muito ligada e com boa atitude, depois de tanto tempo parados. As vitórias dão confiança e, utilizando aquele lugar comum, acredito que trabalhamos melhor em cima de vitórias do que de derrotas”

A incerteza no futebol

“Tem havido incongruências, inclusive com as descidas do Cova da Piedade e Casa Pia. Compreendo as pessoas e não sou ninguém para apontar o dedo. É uma situação nova e é preciso tomar decisões. Mas a sensação que dá é que vamos remendando as coisas: não temos público esta jornada, mas se calha na próxima ou na seguinte já teremos. O futebol sem público nas bancadas é estranhíssimo, parece que estamos a disputar um jogo de pré-época”