Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Para Mathieu, com amor, do Sporting

Rúben Amorim, o treinador que continua invencível, tinha prometido que o Sporting ia tentar dedicar a vitória a Mathieu e foi precisamente isso que aconteceu: o Belenenses SAD até começou a ganhar, mas os sportinguistas deram a volta, com um bis de Jovane e um golo de Coates (3-1)

tribuna expresso

Lusa

Partilhar

Mathieu. Era impossível que este não fosse o tema da semana para os sportinguistas. Depois de se lesionar no treino, rompendo o ligamento do joelho, e, por consequência, terminando a carreira, Mathieu estava na mente de todos e foi por isso que, esta noite, na Cidade do Futebol, todos os jogadores entraram em campo com o mesmo nome nas camisolas: "Mathieu", precisamente.

Antes do jogo, Rúben Amorim tinha prometido que a equipa ia fazer tudo para oferecer a vitória ao agora ex-jogador e foi precisamente isso que aconteceu. Com Borja no lugar que era do francês - com a diferença obviamente a ser abissal... - e com Ristovski na ala direita - Camacho foi para o banco -, o Sporting teve algumas dificuldades em pegar no jogo logo desde início.

A equipa do Belenenses SAD, à imagem de Petit, mostrava-se muito pressionante nas marcações, logo desde a construção do Sporting, complicando muitíssimo a chegada do adversário ao meio-campo ofensivo. A primeira vez que a equipa de Rúben Amorim chegou à área adversária aconteceu de uma outra forma: num contra ataque rápido, com Jovane a isolar Sporar, que entrou na área mas acabou por perder ângulo de remate - depois aparece Jovane, mas a bola passou por cima.

O Belenenses SAD ia impedindo o Sporting de sair do seu próprio meio-campo, com marcações fortes - e o mesmo sistema de jogo, o 3-4-3, do adversário -, e foi mesmo através de um erro junto à própria área que os sportinguistas sofreram.

Aos 10', Ristovski e Quaresma erraram na saída de jogo e permitiram que Nilton Varela recuperasse a bola e rapidamente cruzasse para a área: Licá, de primeira, desviou para o 1-0.

O erro não pareceu abalar o Sporting, que foi começando a sair cada vez mais da pressão que o Belenenses SAD ia fazendo, ainda que fosse notória a falta que faz Vietto à equipa, por pegar no jogo quando Wendel está a ser mais tapado.

Aos 22', num canto, Coates saltou sozinho na área e beneficiou de uma má saída de Koffi para cabecear para o 1-1. O capitão dirigiu-se imediatamente para o banco e dedicou o golo, como não podia deixar de ser, a Mathieu.

Apesar do empate, até era o Belenenses SAD, principalmente através das incursões de Mateo Cassierra, que ia criando mais perigo junto da baliza de Max, mas foi mesmo o Sporting a conseguir a reviravolta - e pelo novo suspeito do costume.

É inegável a confiança que respira Jovane: após cruzamento pelo ar de Ristovski, o extremo rematou de primeira, num movimento acrobático, e fez o 2-1, aos 36', conseguindo assim o registo de três jogos consecutivos a marcar.

A vantagem dava agora mais confiança ao Sporting e, já em cima do intervalo, surgiu o 3-1. Sporar foi derrubado dentro da área por André Santos e o árbitro Hélder Malheiro marcou penálti. À primeira, Jovane falhou, mas a defesa de Koffi beneficiou de uma infração: o guarda-redes já estava fora da linha antes do remate sair.

Assim sendo, o penálti foi repetido e, à segunda, Jovane bisou mesmo, fechando o resultado da 1ª parte.

À entrada para a 2ª parte, ainda que o resultado fosse favorável ao Sporting, não era certo que houvesse 45 minutos tranquilos. É que, além da boa prestação do Belenenses SAD na 1ª metade, havia também que contar com a lesão de Jovane: teve de sair ao intervalo, aparentemente com uma dor na perna, e deu o lugar a Francisco Geraldes.

E a verdade é que a entrada de 'Chico' Geraldes surgiu precisamente na altura ideal para o Sporting. Se, na 1ª parte, a equipa até estava com dificuldades em construir, devido à forte pressão adversária, tudo melhorou com a aproximação de Geraldes - falso "extremo" e uma espécie de terceiro médio a irromper do corredor para o meio - a Wendel.

O Sporting saía agora com a bola controlada desde trás com mais facilidade e foi mesmo Geraldes a estar muito perto do golo, com dois remates perigosos de fora da área, ambos travados por Koffi.

Já com Ilori e Doumbia nos lugares de Quaresma e Doumbia, o Sporting foi claramente adormecendo o jogo, sabendo gerir com (e sem) bola o jogo e mantendo a vantagem com muita tranquilidade.

Ainda houve um remate de Sporar e um cabeceamento de Coates, mas o Sporting não voltou a marcar, tal como o Belenenses SAD, que ainda assustou com um remate de Dieguinho, e pouco mais.

O Sporting somou mais uma vitória, chegando agora aos 52 pontos, mais dois do que o Braga, 4º classificado, e menos 12 do que o Benfica, 2º classificado. E Rúben Amorim continua, no Sporting e no Sporting de Braga, a ser um treinador invencível