Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Sérgio Conceição: "Se gosto de ver discutido na praça pública um colega de profissão, que é o Bruno Lage, não gosto. Tenho esse respeito"

Na conferência de imprensa de antevisão do Paços de Ferreira-FC Porto (segunda-feira, 21h15), Sérgio Conceição falou sobre a situação do Benfica, particularmente das críticas endereçadas a Bruno Lage

tribuna expresso

SOPA Images

Partilhar

O Paços de Ferreira

"Trabalhamos estudando aquilo que é o adversário e o seu comportamento nos últimos jogos e para o Paços tem sido muito positivo. Penso que é a segunda equipa com mais pontos depois da retoma. É uma equipa bem orientada e que sabe o que faz em campo. Cabe-nos a nós focarmo-nos no que somos como equipa e o que temos de fazer para passar este obstáculo."

4-0 ao Boavista dá ânimo

"Não trabalhamos dependendo daquilo que é o resultado. Claro que se trabalha de forma mais alegre mas o que tem de nos dar confiança é a qualidade do nosso trabalho. Há jogos em que merecemos fazer 7 e 8 golos, como acontece antes do Boavista [frente ao Aves], e não aconteceu, e outros em que com menos oportunidades fazemos quatro golos."

Mais pressão com apenas seis jogos para terminar a Liga

"Sinto que não posso falhar desde que tenho consciência de que sou gente. Sou ambicioso e quero sempre fazer mais e melhor. Todos os desafios são oportunidades para acertar. O mais importante não é olhar para seis jogos, é olhar para um, o de amanhã."

O FC Porto volta a jogar depois do Benfica jogar

"Os jogos têm de se fazer, depois ou antes não é assim tão relevante. Temos de jogar. Temos de ganhar os nossos jogos, não adianta ser antes ou depois se não ganharmos."

Nakajima

"Já falei sobre isso. É um assunto que faz parte da direção."

Sente que o Benfica "já entregou as faixas"?

"Não podemos controlar os pensamentos das outras pessoas, podemos controlar o que fazemos na nossa casa, que é o mais importante."

Paços não costuma jogar com três centrais, mas os adversários do FC Porto normalmente fazem-no

"Nós quando olhamos para os adversários também olhamos para os comportamentos dos próprios treinadores. Não é habitual o Pepa mudar a identidade da equipa. O Paços tem dinâmicas visíveis, trabalha bem e muito, é bem organizado, com um meio-campo muito interessante, com várias opções, tem centrais de qualidade, o corredor central é forte, com o Tanque na frente de ataque. Conhecemos a dinâmica do Paços e cabe-nos a nós contrariar. Se vai mudar ou não, isso não sei, mas estou preparado para encontrar as soluções necessárias."

É preciso travar a euforia portista?

"Ainda não ganhámos nada. Não há outra explicação. As contas fazem-se no fim. Basta um jogo para as equipas ficarem iguais. Não é pela minha experiência, é por uma questão de realismo. Não é um travão de mão, nem por jogar na defensiva, é a realidade. Depois da retoma temos assistido a alguma inconstância no percurso das equipas, não podemos facilitar em nada. Já tivemos oportunidade de conversar na equipa e as equipas vão ficando melhores, porque ficámos três meses competir e essa competição tem sido dada pelos jogos oficiais. Seria leviano da minha parte dizer que algo estava conquistado."

Crise no Benfica

"Nós temos o nosso trajeto e o nosso percurso. Vocês não podem assistir, felizmente ou infelizmente, já pedi até para abrirmos mais vezes, agora é difícil com a pandemia. Mas no balneário não se fala minimamente disso. Os jogadores estão focados no trabalho, há um bom espírito, seriedade e consciência das dificuldades que vamos ter até final da época. Temos consciência também das possibilidade de ganhar dois títulos. Se gosto de ver discutido na praça pública um colega de profissão, que é o Bruno Lage, não gosto. Mas temos de aceitar, faz parte do futebol. Mas sinceramente não gosto de ver. Tenho esse respeito, seja pelo Bruno Lage, pelo Pepa, seja por quem for."

O FC Porto também perdeu pontos de avanço para o Benfica na época passada, agora é o contrário

"O passado é passado e o fututo depende do presente. Estou um bocado filosófico [risos]. Com todo o respeito que tenho pelas vossas perguntas e curiosidade, e quando acendemos a televisão fala-se sempre do mesmo tema, compreendo. Mas o que interessa é o Paços e o que é o jogo de amanhã."

Zé Luís está lesionado

"Está fora do jogo."

Domingos Soares Oliveira: "Este ano investimos cerca de €60 milhões, admito que haja uma redução no investimento"

O CEO do Benfica explicou, em entrevista à BTV, por que razão é que o clube lançou um novo empréstimo obrigacionista de €35 milhões e explicou o que devem os adeptos esperar do pós-pandemia, particularmente no que diz respeito ao mercado de transferências. Domingos Soares Oliveira não falou, contudo, do chumbo do orçamento da nova época, por parte dos sócios