Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Rúben Ribeiro: “Toda a gente dizia que eu era mercenário. O Sporting sempre tentou prejudicar-me depois de rescindir o contrato”

Voltou em janeiro a Portugal depois de, em 2018, rescindir unilateralmente com o Sporting e ir jogar para os Emirados Árabes Unidos. Rúben Ribeiro regressou ao Gil Vicente, onde jogou, marcou golos, ajudou a manter o clube na primeira liga e, em entrevista ao "Record", e diz que "as pessoas que realmente pertencem ao futebol, não são aquelas das conversas de café, as que sabem ver futebol, sabem que" o extremo português não tem "de demonstrar nada a ninguém"

Tribuna Expresso

HUGO DELGADO/Lusa

Partilhar

A justiça deu-lhe razão contra o Sporting

"Acreditei sempre que a verdade viria ao de cima. O processo ainda não acabou, mas já foram duas ou três decisões em que recorremos à via judicial e ganhámos sempre, falta o último capítulo, mas acreditamos que vai correr bem. Estou muito bem representado por todos os meus advogados, que têm feito um excelente trabalho. É bom, depois de tudo aquilo que aconteceu, ter-me sido reconhecida justa causa, quando toda a gente dizia que eu era mercenário, enganador, realmente as coisas não foram bem aquilo que as pessoas pensavam."

O Sporting prejudicou-o?

"Claramente. Não acredito que fossem muitos os jogadores que aos 30 anos chegassem junto da família e colocassem esse ponto de vista, de passados seis meses de ter chegado ao Sporting, avançar com a decisão de rescindir o contrato para sair. Depois de tudo o que passámos não foi fácil, não era qualquer pessoa que faria o que eu fiz. E fiz porque senti-me prejudicado, o Sporting sempre tentou prejudicar-me depois de eu ter rescindido o contrato, e eu sempre fui dos poucos jogadores, e há provas disso, que sempre tentaram sair a bem, nunca quis prejudicar o Sporting, e da parte do Sporting nunca aconteceu isso.

"Toda a gente sabe, a minha família, amigos, as pessoas mais próximas sabem que fui injustiçado, que fui prejudicado. Tive várias propostas de clubes que me queriam, caso saísse a bem do Sporting, a pagarem muito mais do que aquilo que custei, mas o Sporting nunca quis tratar nada comigo. É isso que me causa tristeza, de nunca terem tratado das coisas comigo, sempre tentei, nunca quis prejudicar o Sporting de forma alguma, e os responsáveis do Sporting sabem perfeitamente disso, que as propostas chegaram, mas eles quiseram fazer as coisas de uma forma diferente, tentaram prejudicar-me, mas são águas passadas, nem penso mais nisso desde que saí do Sporting."

O velho Rúben está de volta?

"É, sem dúvida alguma, o Rúben que habituou as pessoas a terem prazer em ver um jogo de futebol. Sinto-me bem dentro do campo, a poder desfrutar, fazer de conta que estou a jogar na rua, no meu bairro, que foi onde comecei, a pensar que estou a jogar no bairro com os meus amigos, é esse o pensamento que tenho sempre que vou a jogo. Quando são os jogos grandes, recordo-me de quando era criança, jogava na rua, dizíamos que éramos o FC Porto, os outros eram o Benfica... então esses jogos são desafiantes para mim, porque fazem-me recordar várias coisas da minha infância, esses são os jogos que mais gosto de fazer."

O regresso a Portugal

"O mister e os dirigentes do Gil Vicente sabiam que não só em Portugal, mas também fora, tinha convites para ganhar bastante dinheiro, mas queria voltar por causa da minha família, dos meus filhos. Regressar a Portugal, trabalhar com o mister e poder estar com a família foi ouro sobre azul para mim. Sinto-me satisfeito pela escolha que fiz.

Depois de regressar a Portugal para estar com a minha família, com os meus amigos, e voltar ao Gil Vicente, tudo fiz para que as pessoas se lembrassem rapidamente do Rúben que sempre se habituaram a ver. Vim com a força do mister Vítor Oliveira, que é uma pessoa muito importante para mim, que me ajudou bastante, não só agora como no início da carreira, nunca irei esquecer o que ele fez por mim nos tempos do Leixões. A vinda para o Gil Vicente foi por causa do mister Vítor Oliveira, surgiu esse convite e não pensei duas vezes, porque é uma pessoa muito acarinhada e respeitada por toda a gente no futebol português."